Cerca

Vatican News
Papa Francisco discursa no Encontro Inter-religioso sobre a Fraternidade Humana, antes da assinatura do documento Papa Francisco discursa no Encontro Inter-religioso sobre a Fraternidade Humana, antes da assinatura do documento  (ANSA)

Muçulmanos europeus agradecem ao Papa e Imame por Documento

Lideranças muçulmanas europeias afirmam ter lido "com emoção e atenção" o Documento sobre a fraternidade humana pela paz mundial da convivência comum, assinado pelo Papa Francisco e pelo Grão Imame de al-Azhar, Ahmed al-Tayyeb em Abu Dhabi, e expressam seu "total apoio e acompanhamento concreto a esta nobre iniciativa e aos conteúdos desta mensagem histórica".

"Profunda gratidão ao Papa Francisco e à Igreja Católica, ao xeique Ahmed al-Tayyeb e à nobre instituição de Al-Azhar al-Sharif", foi expressa pelo Conselho Europeu de Sábios Muçulmanos (European Muslim Leaders Majlis – EuLeMa), pelo "histórico” Documento sobre “a fraternidade humana pela paz mundial da convivência comum", assinado pelos dois líderes em Abu Dhabi.

Apoio aos valores destacados no documento

 

Em um comunicado divulgado na Itália na segunda-feira  pelo CESM, 17 autoridades religiosas muçulmanas da Europa, membros do Conselho, agradeceram ao Papa Francisco e ao Grão Imame al-Tayyeb "pelos precisas indicações mencionadas no Documento à liberdade, à justiça, ao diálogo, à proteção dos locais de culto, à cooperação entre o Oriente e Ocidente, à condenação do terrorismo, ao valor e à dignidade da família, da mulher, das crianças e dos pobres".

 

As autoridades religiosas europeias afirmam ter lido "com emoção e atenção o documento" e expressam seu "total apoio e acompanhamento concreto a esta nobre iniciativa e aos conteúdos desta mensagem histórica".

Documento, um guia para as novas gerações

 

O Islam europeu adere "ao generoso convite" contido no documento, para que o texto assinado em Abu Dhabi "torne-se um guia para as novas gerações, em direção a cultura de respeito recíproco."

"Em nossas funções de relações institucionais e de formação educativa no contexto da sociedade europeia – lê-se no comunicado do Conselho – temos sido há tempos responsáveis ​​pela transmissão de valores universais e comuns ao cristianismo e ao islamismo, e às outras doutrinas de outras comunidades religiosas. Estamos conscientes de que somente a realização desta perspectiva de respeito pela sagrada identidade da vida, será capaz de deter a guetos, a vitimização, as discriminações e a homologação  artificial e infundada da natureza humana".

Expressão “minorias”, sentimento de isolamento e de inferioridade

Em particular, os “ sábios" sublinham "a importante citação sobre a Cidadania" contida no Documento onde se afirma a necessidade de "estabelecer em nossas sociedades, o conceito de plena cidadania  e renunciar ao uso discriminatório do termo minorias, que traz consigo as sementes do sentimento de isolamento e de inferioridade".

Encontro em Bucareste

 

Na declaração, por fim, se anuncia que o Conselho Europeu de  Sábios Muçulmanos e seus membros se reunirão em breve em Bucareste, sob a Presidência da União Europeia, para estudar caminhos e programas operacionais para "atualizar nossas atividades à luz da pontos expressos na Declaração de Abu Dhabi e favorecer seu pleno sucesso".

Entre os 17 signatários da declaração estão o Rais al-Ulama Emeritus Mustafa Ceric (Bósnia), Imam Yahya Pallavicini (Itália), o presidente do Conselho francês de culto muçulmano Anouar Kbibech (França), o Imame  Mohammad Ismail Imam ( Reino Unido) e Imame e Mufti da Finlândia, Áustria, Alemanha, Romênia, Polônia, Rússia, Dinamarca, Portugal, Lituânia, Albânia, Irlanda, Eslovênia. (Com Agência SIR)

Ouça e compartilhe!

 

12 fevereiro 2019, 11:08