Cerca

Vatican News
Intitulado "Cinco Anos de Conflito: O Estado do Patrimônio Cultural na Antiga Cidade de Aleppo", o livro apresenta uma análise detalhada dos danos sofridos em várias partes da cidade, incluindo muitos edifícios antigos Intitulado "Cinco Anos de Conflito: O Estado do Patrimônio Cultural na Antiga Cidade de Aleppo", o livro apresenta uma análise detalhada dos danos sofridos em várias partes da cidade, incluindo muitos edifícios antigos  (AFP or licensors)

Novo livro explora os danos da guerra em Aleppo

Primeiro livro a examinar os efeitos da guerra civil na cidade síria de Aleppo acaba de ser publicado.

Durante quatro anos, a cidade de Aleppo esteve no centro de uma batalha entre forças do governo e combatentes rebeldes, como o Exército Sírio Livre e a milícia YPG. A cidade, patrimônio mundial da Unesco, sofreu grandes danos e ficou praticamente sem alimentação e suprimentos médicos.

Agora, dois anos depois que as tropas do governo expulsaram os rebeldes de Aleppo, o primeiro livro detalhando os danos causados à cidade foi publicado pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). A guerra civil síria estourou em 2011 e continua até hoje. A batalha em Aleppo aconteceu entre 2012 e 2016.

Intitulado "Cinco Anos de Conflito: O Estado do Patrimônio Cultural na Antiga Cidade de Aleppo", o livro apresenta uma análise detalhada dos danos sofridos em várias partes da cidade, incluindo muitos edifícios antigos. No total, 518 propriedades foram avaliadas, incluindo a antiga cidadela e a grande mesquita, que datam do século II antes de Cristo.

A avaliação inicial foi realizada por meio da análise de imagens de satélite, antes que historiadores e arqueólogos pudessem visitar os locais para fazer um exame mais detalhado. Há também uma linha do tempo da batalha de Aleppo e uma breve história da cidade.

Os primeiros assentamentos registrados em Aleppo datam de 5000 anos antes de Cristo. Ao longo dos séculos, a cidade fez parte do império de Alexandre, o Grande, bem como da província romana e dos territórios persas. A cidade testemunhou a ascensão do cristianismo e do islamismo. Foi também a capital do estado de Aleppo antes de se tornar parte da Síria moderna.

De acordo com a diretora da Unesco, Audrey Azoulay, que escreveu o prefácio do livro, Aleppo foi um dos seis patrimônios sírios adicionados à lista da UNESCO de Patrimônio Mundial em Perigo. Ela observa que Aleppo “já foi reconhecida como um exemplo de melhor prática no campo da conservação urbana. Hoje, encontra-se em ruínas, com seus inestimáveis marcos históricos e manifestações culturais gravemente danificados ou destruídos ”.

(John Waters)

18 dezembro 2018, 10:45