Versão Beta

Cerca

Vatican News
MEXICO USA HONDURAS Crianças na Caravana de Migrantes  (ANSA)

Caravana de Migrantes: militares na fronteira dos EUA e ajuda da Unicef

Os Estados Unidos anunciaram que foi ativada a operação “Faithful Patriot” à qual participarão 5.200 militares que estarão na fronteira com o México antes da chegada dos milhares de migrantes da América Central, enquanto isso Unicef ajuda crianças e famílias que participam da caravana dando assistência humanitária

Cidade do Vaticano

Os funcionários do Departamento de Segurança e Defesa dos Estados Unidos informaram que a operação, cujo nome pode ser traduzido como “Patriota Fiel”, terá 5.200 soldados, helicópteros, agentes de migração especializados e equipes de vigiância remota noturna para proteger a fronteira com o México.

“Nossa mensagem é simples: não vamos permitir que grandes grupos entrem nos Estados Unidos de maneira clandestina” disse o general Kevin McAleenan, Comissário para a proteção da fronteira.

As tropas poderão abrir fogo, diz Trump

Durante a coletiva da quarta-feira (01/11) na Casa Branca, o presidente Trump ameaçou que “se alguém lançar pedras ou rochas como fizeram no México, poderá ser alvo de disparos”, comentando a passagem da caravana dos migrantes no México. O Presidente afirmou - segundo o General O'Shaughnessy que dirije a operação no Texas -  que os migrantes são uma ameaça para os Estados Unidos.

O Presidente tinha afirmado na sua conta do tuíte que “muitos criminosos unem-se à caravana que se dirige aos Estados Unidos”, e disse para voltarem, pois não poderão atravessar a fronteira e conclui advertindo: “Esta é uma invasão do nosso país e nosso exército está esperando-os”.

Unicef ajuda crianças da caravana

Enquanto isso o Unicef comunica que 2.300 crianças que chegaram ao México com a caravana precisam de assistência humanitária – incluindo serviço de proteção, assistência médica, nutricional, água potável e serviços higiênicos para garantir sua proteção.

São crianças que participam da caravana e também as que ficaram sozinhas ou com famílias em comunidades e refúgios depois de ter abandonado o grupo.

Por isso o Unicef em coordenação com as organizações da sociedade civil e as autoridades locais colocaram pontos com água potável nas áreas onde passa a caravana e distribuem ajuda de emergência.

Muitas das crianças e famílias presentes na caravana estão fugindo de violências de grupo de todos os tipos, ameaças, pobreza e acesso limitado à instrução e serviços sociais.

O Unicef pede mais uma vez para os governos darem prioridade ao superioir interesse das crianças ao aplicar leis e procedimentos sobre a imigração e manter as famílias unidas e encontrar alternativas à detenção de menores migrantes que pode ser uma experiência muito traumática e pode comprometer o desenvolvimento da criança a longo prazo.

Pedido de asilo

Existe uma obrigação legal, segudo o Direito internacional, de acolher as pedidos de proteção dos solicitantes que temem a violência em seus países de origem. Porém o general Kevin McAleenan pediu que os migrantes que fazem parte da caravana aceitem a oferta do governo do México, “o governo mexicano ofereceu-lhes asilo e autorização de trabalho. Se eles são perseguidos nas suas terras de origem, já chegaram a um lugar seguro”.

O México anunciou o plano “Você está em casa” para dar condições aos refugiados e migrantes da caravana de ficarem no país . Consequentemente o número de migrantes está diminuindo graças a oferta de asilo mexicana e ao prolongamento da viagem, porém o presidente Trump está alertando as fronteiras. O uso das forças militares provavelmente terá pouco impacto tangível pois os migrantes querem apresentar um pedido legal de asilo nos Estados Unidos.

Ouça e compartilhe
02 novembro 2018, 12:11