Versão Beta

Cerca

Vatican News
Arsênico e mercúrio contaminam rios na áera onde vivem comunidades indígenas Arsênico e mercúrio contaminam rios na áera onde vivem comunidades indígenas  (AFP or licensors)

Sucumbíos: petróleo e ouro vão, contaminação e poluição ficam

Vatican News contatou o bispo do Vicariato no Equador, o brasileiro Dom Celmo Lazzari, preocupado com a contaminação das águas e a poluição do ar nesta área aos pés dos Andres onde surgem as nascentes dos maiores rios amazônicos.

Cristiane Murray - Cidade do Vaticano

Aos pés das montanhas orientais dos Andes, se localiza a província de Sucumbíos, uma das mais economicamente importantes do Equador. Em meio à extração desenfreada de petróleo, às chaminés e à fumaça tóxica da combustão, despontam as naturais nascentes de água da floresta. A maioria dos rios da província nascem ali, como o Aguarico. 

O Vicariato Apostólico de San Miguel de Sucumbíos, com seus quase 180 mil habitantes, convive com a extração do petróleo há tempos. Enquanto muitos colonos e agricultores ganham a sobrevivência nas plantações, constituindo a maioria pobre da população, o lucro das companhias petrolíferas vai para fora e o pouco que fica se resume em poluição e contaminação dos rios e do ar.

Vatican News contatou o bispo do Vicariato, o brasileiro Dom Celmo Lazzari, gaúcho de Garibaldi, da Congregação dos Josefinos de Murialdo, que em 2010 foi enviado ao Equador como bispo de Napo, tendo assumido três anos depois a condução de Sucumbíos.

A contaminação dos rios e a poluição do ar

“A novidade são as empresas de mineração, que utilizam elementos químicos como o arsênico e o mercúrio, que servem para selecionar mais rapidamente o ouro. O arsênico entra nas águas de que os povoados se servem (muitas comunidades indígenas Quichua e Shuar) para beber, tomar banho e se banhar”.

“ A água vem das nascentes, da floresta, é água pura das montanhas. Ela deve ser conservada, para o bem da região e de toda a população que vive às margens do rio Aguarico. ”

“O arsênico e o mercúrio vão pelo Rio Amazonas e chegam ao mar. Os peixes os acumulam e ao consumi-los, nós somos contaminados”.

Baixe e compartilhe



 

10 setembro 2018, 11:34