Versão Beta

Cerca

Vatican News
Bispos defendem a integridade do Seminário de Suyapa Bispos defendem a integridade do Seminário de Suyapa 

Honduras: bispos esclarecem situação do Seminário de Tegucigalpa

A Conferência Episcopal de Honduras (CEH) negou que no Seminário Maior Nossa Senhora de Suyapa, sediado na capital, Tegucigalpa, exista uma cultura homossexual, como sugere uma reportagem publicada recentemente por alguns meios de comunicação

Cidade do Vaticano

A Conferência Episcopal de Honduras (CEH) negou que no Seminário Maior Nossa Senhora de Suyapa, sediado na capital, Tegucigalpa, exista uma cultura homossexual, como sugere uma reportagem publicada recentemente por alguns meios de comunicação.

Em comunicado publicado em 30/07, os bispos hondurenhos lamentam que a informação divulgada cause dor e escândalo em meio aos seminaristas.
“Com toda certeza e verdade, afirmamos que não existe, não existiu e nem deve existir no Seminário uma atmosfera como a apresentada na reportagem, que passa a impressão de que institucionalmente são promovidas ou apoiadas práticas contrárias à moral e às normas da Igreja, sob os olhos complacentes dos bispos”, assegura a CEH.

“ Há crueldade e informações mal processadas, sobretudo na elaboração de informações ‘anônimas’; dados confusos, suspeitas e interpretações ”

A serviço da formação

Conforme especificado na nota, “a tarefa direta de acompanhar o processo de formação dos seminaristas está confiada desde 1997 à Congregação de Jesus e Maria (Padres Eudistas) da província da Colômbia e, nos últimos anos, somaram-se a eles sacerdotes diocesanos hondurenhos. Por outro lado, a formação acadêmica é seguida por muitos professores, incluindo o cardeal Maradiaga, sacerdotes, religiosos e leigos. Em última análise, cada um de nós, bispos da CEH, é responsável pelo projeto formativo, o apoio econômico e o crescimento humano, espiritual e pastoral dos seminaristas das nossas dioceses”.

Os frutos abundantes

Além disso, os bispos agradecem a Deus "porque a esperança, a devoção e a dedicação de muitas pessoas no seminário maior e em cada diocese e paróquia estão dando frutos abundantes". Quem ouve a Palavra do Senhor - sublinham - não se surpreende com o fato de que entre os muitos frutos exista também a discórdia”.

Comprometidos em um diálogo construtivo

Terceiro ponto enfrentado pelos bispos, o compromisso de "diálogo construtivo e exigente para entender como enfrentar os desafios" que a realidade apresenta, impulsionados pelo "afeto" e pela "dedicação que exige a busca do bem do povo de Deus e de cada pessoa ". "Neste momento – destacam -, em apoio a este compromisso, pedimos a colaboração de um bispo emérito do nosso Continente, especialista no campo da formação sacerdotal que já aceitou o nosso pedido".

Esperança e oração pelos sacerdotes

Na viva confiança que "emergem vocações livres, amadurecidas e sem medo de servir", os bispos de Honduras se dirigem "aos seminaristas atuais e futuros", pedindo "que vivam com esperança seu discernimento, que cresçam na confiança, autenticidade e transparência junto com seus bispos e formadores". A nota se conclui convidando todos a "crescer na oração pelo Seminário Maior e evitar qualquer tipo de especulação que diminua o respeito da dignidade dos bispos, seminaristas, formadores e de todos aqueles que, mesmo com limites e erros, procuram realizar o projeto do Senhor".

30 julho 2018, 18:20