Versão Beta

Cerca

Vatican News
A sondagem é da Plataforma “Pensar e Debater” A sondagem é da Plataforma “Pensar e Debater”  (AFP or licensors)

3 em cada 4 portugueses dizem “NÃO” à eutanásia

É o que aponta a sondagem feita a 624 pessoas que são “representativas em termos de idade, gênero e habilitações literárias à totalidade da população portuguesa. Confira a reportagem.

Domingos Pinto - Lisboa


A maioria dos portugueses é contra a eutanásia e quer cuidados paliativos.

É o resultado de uma sondagem encomendada pela Plataforma Pensar e Debater, divulgada esta 6ª feira, dia 18, em Lisboa, numa conferência que teve como convidado Michel Ghins, filósofo belga e especialista em bioética.

75% dos portugueses prefere cuidados paliativos, e 17% opta pela eutanásia, aponta esta sondagem feita a 624 pessoas que são “representativas em termos de idade, género e habilitações literárias à totalidade da população portuguesa”, diz à VATICAN NEWS João Ferreira, da empresa que produziu esta sondagem.

“Os portugueses querem é minimizar o sofrimento através de cuidados paliativos”, refere aquele especialista, segundo o qual “3 em cada 4 portugueses manifesta rejeição explicita da eutanásia”.

Nesta conferência participou também o ex-bastonário da Ordem dos Médicos, Germano de Sousa, que é taxativo:

“ Estamos diante de um individualismo feroz incompatível com qualquer conceito de solidariedade humana ”


Por sua vez o professor Michel Ghins considera que deveriam ser “incentivados os cuidados paliativos”, e diz esperar que os deputados portugueses possam “tirar todas as consequências desta sondagem em não legalizar o acesso à eutanásia”.

O filósofo deu exemplos da experiência da Bélgica onde a eutanásia foi legalizada em 2002, e diz mesmo que há muitos casos que foram autorizados que nem sequer estão garantidos na lei.
 

Ouça

Photogallery

Eutanásia é rejeitada pela maioria dos portugueses
19 maio 2018, 15:47