Busca

Rumo ao Sínodo
Vatican News

Bispos poloneses aos fiéis: que o “Sínodo” signifique realmente caminhar juntos

"Desta vez, o Papa Francisco quer que não apenas os bispos participem da experiência sinodal. Ele convida todos a seguir o caminho comum de discernimento da vontade de Deus porque todos receberam o Espírito Santo através do Batismo e da Confirmação, e na Eucaristia são nutridos pelo único Corpo do Senhor Vivo", escrevem os bispos poloneses em sua carta pastoral aos fiéis, acrescentando que todos constroem o Corpo Místico de Cristo, a Igreja, e compartilham a responsabilidade por ela

Vatican News

Ouça a reportagem e compartilhe!

"Pedimos sua participação gentil e animada no Sínodo e desejamos muitas boas experiências durante as reuniões." Assim, escreveram os bispos poloneses em uma carta pastoral aos fiéis em vista do início do processo de preparação da próxima assembleia geral ordinária do Sínodo dos Bispos - aberto pelo Papa Francisco nos 9 e 10 de outubro, em Roma - que ser realizará no Vaticano em outubro de 2023 com o tema "Por uma Igreja sinodal: comunhão, participação e missão".

Um desejo, expresso pelos bispos poloneses através do site do Episcopado, de que os participantes sejam encorajados a orar para que o Espírito Santo abra seus corações ao que os outros têm a dizer. Em sua carta pastoral, os bispos explicam que a palavra "sínodo" significa seguir um caminho comum.

De fato, durante séculos, os sínodos foram o principal meio de tomada de decisões eclesiásticas. Primeiro os apóstolos e depois os bispos como seus sucessores se reuniram para discernir sob o sopro do Espírito do Senhor qual era a vontade de Deus para a Igreja.

Todos chamados a seguir caminho comum de discernimento

"Desta vez, o Papa Francisco quer que não apenas os bispos participem da experiência sinodal. Ele convida todos a seguir o caminho comum de discernimento da vontade de Deus porque todos receberam o Espírito Santo através do Batismo e da Confirmação, e na Eucaristia são nutridos pelo único Corpo do Senhor Vivo", escrevem ainda os bispos, acrescentando que todos constroem o Corpo Místico de Cristo, a Igreja, e compartilham a responsabilidade por ela. Os bispos ressaltam que o Papa Francisco quer que o estilo de discernimento comunitário se torne uma prática permanente da Igreja.

O trabalho sinodal terá uma duração de dois anos. Primeiro haverá uma fase diocesana, no próximo ano uma fase continental e em 2023 uma fase universal. Segundo os bispos, as paróquias deverão receber em breve informações detalhadas sobre o andamento da fase diocesana do Sínodo, que se realizará nos próximos meses. Os bispos poloneses enfatizam que "durante o Sínodo devemos olhar como juntos, clero e leigos, construímos a comunidade da Igreja, partindo da menor paróquia".

"As vozes do diálogo sinodal nas comunidades locais terão que ser coletadas, resumidas e transmitidas - diz a carta -, entretanto, não é necessário esperar por diretrizes organizativas para iniciar o diálogo."

Primeiro, fazer um exame de consciência

"Você pode começar com as comunidades familiares e o diálogo conjugal. Pode falar com seus vizinhos ou colegas de trabalho. Já podemos incluir nos temas das reuniões paroquiais, religiosas e comunitárias diocesanas a questão sobre como buscamos juntos a vontade de Deus. A abordagem sinodal deve permanecer sensível à inclusão de todos na conversa, porque não sabemos através de quem o Espírito Santo vai querer falar."

Seguindo o Santo Padre Francisco, os bispos enfatizam que antes de "empreender qualquer reforma" devemos fazer um exame de consciência sobre como falamos uns com os outros, como nos ouvimos e como discernimos a vontade de Deus. Eles apontam que devemos primeiro nos perguntar: podem os outros, olhando para nossas vidas, "ver nelas um reflexo de Cristo Servo, ou eles veem apenas alguém constantemente preocupado com sua própria posição e consigo mesmo, constantemente ressentido com os outros, firmemente fechado em seu próprio micromundo"?

"E ainda: o que veem quando olham para a vida de nossas comunidades eclesiais: Cristo inclinado a servir os mais fracos, ou uma preocupação com a imagem da instituição, uma luta pela vitória desta ou daquela opção pastoral ou até mesmo política?" perguntam.

Invocar o Espírito Santo

Em seguida, os bispos encorajam todos a invocar o Espírito Santo em oração para acompanhar todas as discussões sinodais. Que possa "sugerir maneiras de incluir no diálogo aqueles que estão à margem ou que foram empurrados para a periferia de nossas comunidades. Abrir nossos corações ao que os outros têm a dizer. Para nos ensinar a ouvir com paciência, empatia, perseverança e, ao mesmo tempo, falar com humildade e coragem".

Por fim, eles também encorajam as pessoas a tentar falar honestamente, incluindo comunidades onde a confiança foi prejudicada por algum motivo: "Mas não há melhor maneira de reconstruir a confiança do que encontrar-se, estar juntos, dialogar pacientemente, acompanhados pela consciência da presença de Deus", afirmam.

Vatican News – RB/RL

13 outubro 2021, 18:24