Busca

Vatican News
Trabalhadores de confecções esperam em uma fila para receber uma dose da vacina Moderna contra o coronavírus Covid-19 em Konabari, a cerca de 40 km de Daca. (Foto de Munir Uz zaman / AFP) Trabalhadores de confecções esperam em uma fila para receber uma dose da vacina Moderna contra o coronavírus Covid-19 em Konabari, a cerca de 40 km de Daca. (Foto de Munir Uz zaman / AFP)  (AFP or licensors)

Variante Delta agrava situação da pandemia em Bangladesh. Igreja se mobiliza para levar assistência

O hospital católico de Daca, a Caritas Paquistão, bem como movimentos e associações católicas estão mobilizadas para levar assistência aos que mais sofrem as consequências da pandemia no país asiático.

Vatican News

A disseminação da variante Delta está agravando a situação da pandemia em Bangladesh. Em 31 de julho, o país asiático registrou novo pico de 9.369 casos. Neste difícil contexto, prossegue o trabalho da Igreja para curar os enfermos e levar ajuda às populações mais afetadas, apesar dos recursos limitados.

Desde que eclodiu a pandemia, o Hospital católico São João Vianney em Daca, deu assistência direta ou indireta a milhares de pacientes com o coronavírus. O hospital não possui unidade de terapia intensiva, mas possui 20 leitos para pacientes Covid com concentradores para fornecimento direto de oxigênio.

Apesar dos custos elevados, o valor pago pelos pacientes é infinitamente menor se comparado com outras estruturas privadas. “Nossa prioridade - explica o diretor do hospital, padre Kanmal Korraya à Agência UCA News - é prestar serviços, não lucrar”.

Além dos pacientes hospitalizados, muitos enfermos recebem atendimento nas próprias casas. A Associação dos Médicos Católicos de Bangladesh colocou-se à sua disposição, fornecendo serviços gratuitos de telemedicina.

Enquanto isso, a Caritas Bangladesh continua oferecendo ajuda às famílias afetadas pela pandemia por meio de seus oito escritórios regionais. Em junho, a organização de caridade alocou o equivalente a US$ 4,55 milhões para intervenções de emergência. No total, 1.378 famílias receberam gêneros alimentícios, enquanto 551 crianças de rua tiveram garantia de alimentação quente por quase um ano.

Os recursos arrecadados - explica o coordenador de projetos da Caritas Bangladesh, James Gomes - também foram utilizados para campanhas de informação sobre a Covid-19 e sobre as medidas de prevenção do contágio.

Por outro lado, faltam recursos para projetos de longo prazo e, em particular, para ajudar os jovens e os que perderam o emprego a encontrar um novo trabalho. O Movimento de Estudantes Católicos de Bangladesh (BCM) também está trabalhando em conjunto com várias associações paroquiais para ajudar os mais necessitados. A organização, que tem 1.200 membros em todo o país, está ajudando as pessoas a obterem alimentos por meio da coleta de doações, a inscrever-se para serem vacinas e a entrar em contato com os hospitais para tratamentos, contou à UCA News o presidente Patrick Purification.

Bangladesh registrou um total de 1,44 milhão de casos e mais de 20.600 mortes. A terceira onda levou o governo de Daca a reintroduzir um lockdown parcial em 26 de junho, enquanto prossegue a campanha de vacinação, que até agora cobriu 4,3 milhões de pessoas em uma população de aproximadamente 166 milhões de habitantes.

Vatican News Service - LZ

01 agosto 2021, 16:18