Busca

Vatican News
Tubos de oxigênio vazios em frente a ponto de distribuição esperam chegada de nova carga de oxigênio Tubos de oxigênio vazios em frente a ponto de distribuição esperam chegada de nova carga de oxigênio  (AFP or licensors)

Sacerdotes e religiosas na linha de frente na luta contra a Covid em Mianmar

A Irmã Ann Rose Nu Tawng, que, nos meses passados havia se ajoelhado diante dos militares para impedir a agressão aos manifestantes, se tornando assim um ícone do protesto não violento, encontra-se entre os que vestiram o avental branco para fazer os testes anti-Covid na clínica confiada às suas coirmãs.

Vatican News

Ouça e compartilhe!

Sacerdotes, religiosos e fiéis leigos dE Mianmar estão na linha de frente para oferecer cuidados médicos às pessoas contagiadas pela pandemia de Covid-19. No entanto, o país registrou cerca de 5.000 novos casos de contágios nos últimos dias. Em muitas dioceses, as obras de solidariedade são muito vastas e constituem uma contribuição preciosa para o bem comum.

Segundo a Agência Fides, a Comissão de Saúde da Diocese de Myitkyina, no norte de Mianmar, mobilizou numerosos voluntários católicos, neste momento de grande emergência.

A Irmã Ann Rose Nu Tawng, que, nos meses passados havia se ajoelhado diante dos militares para impedir a agressão aos manifestantes, se tornando assim um ícone do protesto não violento, encontra-se entre os que vestiram o avental branco para fazer os testes anti-Covid na clínica confiada às suas coirmãs. Irmã Ann Rose e as demais religiosas estão sendo agraciadas pela sua dedicação, pela gratidão de muitas famílias contagiadas pelo vírus e de toda a população local.

 

“Estou pronta para dar a minha vida – afirmou Irmã Ann Rose à agência Fides – para servir e cuidar dos necessitados e sofredores. Peço sempre ao Senhor para que salve e abençoe o povo de Mianmar”.

Entre as várias infraestruturas, a Diocese de Myitkyina instituiu um Centro de Saúde para pacientes contagiados pela Covid-19, onde se oferece assistência completa, inclusive o uso de oxigênio para os enfermos e suas famílias.

“Mas, não é suficiente que sacerdotes e religiosas tenham bom coração - afirmou o padre Clemente da Diocese de Keng Tong - é preciso que se dediquem, sem reservas, dando as suas vidas, em nome de Cristo, ao serviço do próximo, porque Cristo está presente no irmão que sofre”.

 

A imensa obra de solidariedade e partilha material e espiritual da Igreja Católica em Mianmar foi possível graças ao intermédio do padre Marcian Thet Kyaw, pároco da Arquidiocese de Yangon. O sacerdote abriu um "Centro de Saúde anti-Covid" na sua igreja dedicada à Epifania. O Centro de Saúde desempenha um papel muito importante em Yangon, pois fornece testes anti-Covid gratuitos e os primeiros socorros aos contagiados. Milhares de pessoas de Yangon superlotam todos os dias o Centro Católico. Por isso, se tornou um símbolo do compromisso caritativo da Igreja com os necessitados. Ali, numerosos médicos e enfermeiras, católicos e não, prestam serviço como voluntários. Devido ao grande afluxo de pessoas, o Centro foi ampliado, recentemente, em outro espaço da igreja.

Embora o fornecimento de oxigênio para hospitais seja controlado pelos militares, centenas de pacientes recebem oxigênio no Centro paroquial. Graças à ajuda de alguns doadores, o pároco conseguiu 25 aparelhos para fornecer oxigênio aos enfermos.

“Agradeço à Virgem Maria, Mãe de Jesus! A ela voltamos nossos olhares, todos os dias. Recebemos muitas ajudas dos doadores, graças à Providência divina. Colocamo-nos sob a proteção celeste da Virgem Maria para salvar tantos pacientes e tantas famílias desesperadas”, declarou padre Marcian Thet Kyawha à Fides 

O sacerdote também foi contagiado pela Covid-19, mas já se recuperou. Agora, ele cumpre a sua missão pastoral e social para assistir, consolar e acompanhar os sofredores, mediante ajudas materiais e espirituais.

*Com Agência Fides

31 julho 2021, 10:51