Busca

Vatican News
No Sri Lanka, Missa no segundo aniversário dos atentados terroristas na Páscoa de 2019 No Sri Lanka, Missa no segundo aniversário dos atentados terroristas na Páscoa de 2019  (AFP or licensors)

Cinco mil Missas pelos benfeitores da Ajuda à Igreja que Sofre

As comunidades cristãs perseguidas ou discriminadas por ódio à fé, oprimidas por conflitos ou pela pobreza quiseram assim manifestar, de forma organizada e anualmente, a sua gratidão aos benfeitores. E o fazem isso pelas mãos de seus pastores, que compartilham os sofrimentos e os riscos que acompanham o testemunho em nações onde a liberdade religiosa dos cristãos é violada.

L’Osservatore Romano

Ouça e compartilhe!

Cinco mil Missas de ação de graças foram celebradas em 1.145 dioceses de 138 países na sexta-feira, 11 de junho, por ocasião da Solenidade do Santíssimo Coração de Jesus e do Dia Mundial de Oração pela Santificação dos Sacerdotes. A iniciativa foi promovida pela Fundação de direito pontifício Ajuda à Igreja que Sofre (ACS), que instituiu o Dia dos Benfeitores.

As comunidades cristãs perseguidas ou discriminadas por ódio à fé, oprimidas por conflitos ou pela pobreza quiseram assim manifestar, de forma organizada e anualmente, a sua gratidão aos benfeitores. E o fazem pelas mãos de seus pastores, que compartilham os sofrimentos e os riscos que acompanham o testemunho em nações onde a liberdade religiosa dos cristãos é violada.

“A forma mais bela de agradecer - declarou o assistente eclesiástico da ACS Internacional, padre Martin Barta - é a celebração da Sagrada Eucaristia. Eucaristia, de fato, significa agradecimento”. Por isso, milhares de sacerdotes, parceiros dos projetos realizados em todo o mundo com o apoio da ACS e beneficiários da constante generosidade dos doadores da fundação, demonstraram seu reconhecimento celebrando contemporaneamente cerca de cinco mil Missas e confiando ao Sagrado Coração de Jesus as intenções dos mais de 345.000 benfeitores da Fundação pontifícia.

Em carta dirigida aos benfeitores, 16 sacerdotes colaboradores da ACS, em serviço pastoral na Síria, Iraque, Burkina Faso, Nigéria, Cuba, Egito, Paquistão, Ucrânia, Camarões, República Democrática do Congo e Ruanda, representando os mais de 40.000 ministros de Deus apoiados a cada ano pela Fundação através das ofertas para a celebração das Missas, escreveram: "A cada dia, a Ajuda à Igreja que Sofre recebe o conforto de suas orações e suas generosas doações que são usadas para aliviar o sofrimento das comunidades cristãs oprimidas pela provação. Sem a caridade de vocês- concluem eles - seria impossível realizar tudo isso”.

12 junho 2021, 10:44