Busca

Vatican News
Fiel venezuelana segura santinho do Dr. José Gregorio, beatificado em 30 de abril em Caracas Fiel venezuelana segura santinho do Dr. José Gregorio, beatificado em 30 de abril em Caracas  (AFP or licensors)

Dom Giordano: “O povo da Venezuela roubou meu coração”

A Igreja venezuelana despede-se do Núncio Apostólico, Dom Giordano, que em breve iniciará uma nova missão junto à União Europeia em Bruxelas. Para o prelado vaticano, a beatificação do Dr. José Gregorio Hernández foi um “grande presente” de despedida, após sete anos de serviço diplomático.

Alina Tufani - Vatican News

Ouça e compartilhe!

“Graças à comunhão e à amizade de vocês experimentei que Cristo ressuscitado me acompanhou”. Com essas palavras agradecidas Dom Aldo Giordano, até agora Núncio Apostólico na Venezuela, despediu-se dos arcebispos e bispos venezuelanos, alguns reunidos na quinta-feira, 20 de maio, na Sede da Conferência Episcopal Venezuelana (CEV), e outros na modalidade virtual. Após sete anos de missão diplomática no país sul-americano, Dom Giordano foi nomeado pelo Papa Francisco como novo Núncio Apostólico junto à União Europeia em Bruxelas-Bélgica.

“Não é fácil para mim deixar a Venezuela”, afirmou Dom Giordano. “O povo da Venezuela roubou meu coração”, acrescentou o prelado do Vaticano, ao reconhecer que os bispos foram como uma “família” nestes sete anos e que lhe permitiram “encontrar o povo da Venezuela em todos os recantos do país”, como a Amazônia, o Caroní e as demais regiões.

Durante o encontro virtual, refere a nota publicada no site da CEV, o Núncio expressou sua satisfação por ter vivido e cumprido sua missão como representante do Santo Padre na Venezuela, ou seja, confirmar os irmãos na fé e fortalecer a comunhão dos países com a Santa Sé.

“O serviço à comunhão na Igreja como países é um desafio, porque o diabo ataca a comunhão. Por isso agradeço pela comunhão que encontrei aqui no episcopado venezuelano”, disse Dom Giordano, expressando que embora a diversidade de pensamento seja uma riqueza, a comunhão tem sido uma característica marcante no episcopado venezuelano.

“Foi uma surpresa despedir-me do país com a beatificação de José Gregorio Hernández. Foi um grande presente e estou agradecido por ter podido viver este acontecimento especial para a Venezuela”. E acrescentou que o dia da sua nomeação como Núncio Apostólico junto à União Europeia em Bruxelas-Bélgica, foi o mesmo em que em Isnotú celebrou a Missa de Ação de Graças pelo novo Beato.

Dom Aldo Giordano durante entrevista pela beatificação do Dr. José Gregorio Hernandez
Dom Aldo Giordano durante entrevista pela beatificação do Dr. José Gregorio Hernandez

Por fim, Dom Giordano relatou alguns momentos-chave de sua estada na Venezuela e as diversas circunstâncias que viveu. A este respeito, como um sinal de esperança, ele compartilhou que embora “passemos por momentos de cruz e paixão, sempre se abrem caminhos que nos fazem ver que o destino é a ressurreição.

Cerca de 20 arcebispos e bispos testemunharam o encontro por meio de plataformas digitais, enquanto 10 prelados próximos à região metropolitana puderam compartilhar de forma presencial com o diplomata vaticano, a começar pelo cardeal Baltazar Porras, arcebispo de Mérida e Administrador Apostólico de Caracas, Dom Raúl Biord, bispo de La Guaira e segundo Vice-Presidente da CEV; Dom José Trinidad Fernández, secretário-geral da CEV.

Dom José Luis Azuaje, arcebispo de Maracaibo e presidente da CEV, abriu o encontro com uma oração a Nossa Senhora de Coromoto e dirigiu palavras de agradecimento a Dom Giordano por levar “a mensagem de esperança do Papa Francisco aos venezuelanos e por palavras de fé e esperança nestes tempos difíceis”.

O presidente do episcopado também reconheceu a grande contribuição do Núncio Giordano na nomeação episcopal, sendo, com um total de 36 nomeações, o Núncio Apostólico que trabalhou o maior número de nomeações episcopais no país. Por fim, o residente da CEV disse ao representante do Papa que “esta ainda é sua casa e nós somos seus amigos”.

Após as palavras de Dom Giordano, o cardeal Baltazar Porras destacou que a Venezuela é um país que mostra grande admiração pelo Papa e que isso se traduziu em afeto pelo representante da Santa Sé no país, quando muitos afirmam que “ver o Núncio é ver o Papa”.

E em sinal de proximidade, o cardeal Porras, junto com Dom Biord, ofereceu a Dom Aldo Giordano um presente em nome da Conferência Episcopal da Venezuela: uma imagem do Dr. José Gregorio Hernández e um relicário de prata que conterá uma relíquia do Beato. Um presente que Dom Giordano recebeu com imensa alegria: “Creio que em Bruxelas o tema que mais discutirão nos primeiros meses será a Venezuela. Agora, com o Dr. José Gregorio vou com confiança”, disse agradecido.

Dom Aldo Giordano foi nomeado Núncio Apostólico na Venezuela em outubro de 2013 e chegou ao país em fevereiro de 2014. No dia 8 de maio recebeu a nova nomeação como Núncio Apostólico junto à União Europeia em Bruxelas-Bélgica. Seu último ato público no país será a tomada de posse de Dom Carlos Curiel como novo Bispo da Diocese de Carora, neste sábado, 22 de maio.

Vatican News Service – ATD

22 maio 2021, 10:57