Busca

Vatican News
Crianças sírias brincam com um pneu em um campo para deslocados internos na cidade de Maaret Misrin, Província síria de Idlib, no noroeste da Síria, em 8 de maio de 2021. (Foto: OMAR HAJ KADOUR / AFP) Crianças sírias brincam com um pneu em um campo para deslocados internos na cidade de Maaret Misrin, Província síria de Idlib, no noroeste da Síria, em 8 de maio de 2021. (Foto: OMAR HAJ KADOUR / AFP)  (AFP or licensors)

Novo apelo de patriarcas e bispos católicos pelo fim das sanções contra a Síria

A emergência humanitária e social na Síria, o trabalho da Caritas Síria em apoio à população, a emigração maciça de sírios, em particular dos jovens que não conseguem imaginar seu futuro no país, os frutos da Viagem Apostólica do Papa Francisco ao Iraque estiveram entre os temas tratados no encontro realizado em Aleppo.

Vatican News

Ouça e compartilhe!

Um renovado apelo pelo fim das sanções econômicas adotadas contra a Síria, que culminaram com o Caesar Act da administração Trump; o compromisso de trabalhar juntos para mitigar os pesados ​​efeitos sobre a população síria e para deter o êxodo de sírios, especialmente dos jovens e um apelo às Nações Unidas para intervir no novo conflito na Terra Santa. Com estes pedidos concluiu-se o encontro anual do Conselho dos Patriarcas e Bispos Católicos da Síria, realizado de 18 a 20 de maio em Aleppo.

O comunicado final relata que no centro dos trabalhos - no qual também se pronunciou o núncio apostólico em Damasco, cardeal Mario Zenari - ,  esteve a emergência humanitária e social na Síria, reduzida ao limite extremo por dez anos de guerra e pela crise econômica, agora agravada pela pandemia de Covid-19, bem como o trabalho da Caritas Síria em apoio à população. Uma obra – foi destacado - oferecida a todos, sem distinção de pertença religiosa ou étnica, e por meio da qual a Igreja dá um "testemunho visível" da sua presença entre os necessitados e sofredores, "cujo número aumenta a cada dia".

A emigração maciça de sírios, em particular dos jovens que não conseguem vislumbrar um futuro no país, também recebeu a atenção dos patriarcas e bispos católicos. A este respeito, foi sublinhada a necessidade de uma colaboração mais estreita entre as Igrejas, a fim de tentar conter este êxodo e, em particular, convencer os jovens cristãos a permanecerem em suas terras, porque – sublinharam - “acreditamos que a nossa presença e o nosso testemunho neste país são necessários e importantes”.

Os prelados então expressaram sua condenação às operações do exército israelense na Faixa de Gaza, pedindo a intervenção das Nações Unidas para impedir uma escalada do conflito.

Outro tema abordado durante o encontro foi a recente Viagem Apostólica do Papa Francisco ao Iraque, sendo destacados os resultados positivos para os cristãos da região e para as relações com os muçulmanos.

Os prelados também enviaram uma carta ao Papa Francisco para agradecer "seu interesse por nossa pátria, sua defesa dos desfavorecidos, oprimidos e marginalizados e seu constante apelo à fraternidade universal, particularmente evidente na Encíclica Fratelli tutti".

Com relação às iminentes eleições presidenciais na Síria, marcadas para 26 de maio, os bispos exortaram a participação dos cidadãos sírios. Eles então expressaram suas felicitações aos muçulmanos pela recente festa Eid Al Fitr, que marca o fim do Ramadã.

Por fim, dos patriarcas e bispos católicos, o convite aos sírios para rezarem pelo fim da pandemia e "trabalharem juntos para reconstruir uma Síria moderna e um futuro melhor para todos os seus filhos, por meio de um diálogo construtivo e respeitoso de todos, a reconciliação e a rejeição da violência”.

Os trabalhos foram presididos pelo patriarca siro-católico Ignace Youssif III Younan e pelo patriarca greco-católico-melquita Youssef Absi.

Vatican News Service - LZ

22 maio 2021, 07:42