Busca

Vatican News

Covid-19: Caritas Índia alerta para situação dramática e falta de leitos nos hospitais

“A situação é realmente terrível. As pessoas vão para os hospitais, mas os hospitais não têm leitos e pessoas estão morrendo. Nossos profissionais de saúde e voluntários estão trabalhando 24 horas por dia para manter esse ritmo de atendimento”, disse em uma nota o diretor executivo da organização, padre Paul Moonjely.

Vatican News

Ouça e compartilhe!

É um recorde dramático aquele verificado na Índia devido à pandemia de Covid-19. Foram mais de 400 mil contágios registrados em um único dia, segundo informaram as autoridades de saúde do país no sábado, elevando o balanço total da nação asiática, desde o início da emergência sanitária, para quase 20 milhões de casos. Os mortos são quase 220 mil, número que para de aumentar. Um número extremamente elevado, agravado pelo fato de que o oxigênio e os suprimentos médicos estão se esgotando e o sistema de saúde está entrando em colapso.

Neste contexto de emergência sanitária, a Caritas nacional lança um apelo urgente à solidariedade global. “A situação é realmente terrível – sublinha em uma nota o diretor executivo da organização, padre Paul Moonjely. As pessoas vão para os hospitais, mas os hospitais não têm leitos e pessoas estão morrendo. Nossos profissionais de saúde e voluntários estão trabalhando 24 horas por dia para manter esse ritmo de atendimento”.

Para agravar a situação já dramática, no sábado, 1° de maio, um incêndio em um hospital de Bharush, Estado de Gujarat, matou 16 pacientes e duas enfermeiras. Mas não foi o único incidente envolvendo a rede hospitalar nestes tempos. Na sexta-feira, 23 de abril, 13 pacientes morreram devido a um incêndio que atingiu a ala de UTI do Hospital Vijay Vallabh, localizado a cerca de 70 quilômetros de Mumbai. Outro incidente, desta vez envolvendo vazamento de oxigênio na quarta-feira, 21 de abril, havia matado 24 pacientes Covid em hospital na cidade de Nashik, Estado de Maharashtra.

Mas o drama diz respeito também às estruturas funerárias: “Os fornos crematórios derreteram devido ao uso excessivo - continua o sacerdote - e outras estruturas estão sendo construídas do lado de fora”. Mas as cremações também estão sendo feitas em locais ao ar livre, em cenas realmente chocantes.

“Esta segunda onda de coronavírus é terrível - acrescenta o padre Moonjely - A Igreja na Índia perdeu muitos de seus fiéis, irmãos e irmãs, quer leigos como religiosos, comprometidos em servir a população em dificuldade”. 

Por sua vez, a Caritas Índia continua a demonstrar no concreto sua proximidade à população, mobilizando funcionários e voluntários para administrar um Centro de Informações Covid e oferecer alimentos, cuidados básicos de saúde e suporte médico necessário.

Felizmente, solidariedade não falta, sublinha o sacerdote. “Estamos comovidos com a generosidade que recebemos. Mas as necessidades ainda são muitas. Por isso, lanço um apelo à humanidade em todo o mundo para que continue a nos ajudar e a rezar por nós”.

Para maiores informações sobre como apoiar a Caritas Índia, basta clicar no link: https://www.caritas.org/donate-now/india-second-wave-covid19/

Proximidade do bispo de Nottingham

 

No contexto da dramática situação sanitária, a Conferência Episcopal da Inglaterra e do País de Gales expressa sua proximidade e assegura suas orações. Em particular o bispo de Nottingham, Dom Patrick McKinney, diz em uma nota estar "profundamente entristecido" pelas notícias vindas do país asiático e recorda que na diocese inglesa "muitas pessoas que vêm da Índia e que têm entes queridos que vivem lá".

Por esta razão, o prelado dirige-se a eles com palavras de conforto: “Estejam certos de que, neste momento desolador, trago nas minhas orações os vossos amigos, a vossa família e a pátria que amais”.

Ademais, o prelado pede aos fiéis de Nottingham que ofereçam o dia habitual de jejum e penitência na sexta-feira "por todos os que sofrem na Índia, pelos enfermos, pelos moribundos, pelos enlutados e por aqueles que corajosamente cuidam deles".

Recordando, então, episódios particularmente dramáticos como o da Diocese indiana de Dumka, onde cinco padres morreram de Covid em apenas dez dias, Dom McKinney conclui sua mensagem com a oração de descanso eterno por todas as vítimas e com a invocação da Virgem Maria para levar conforto aos enfermos e moribundos "neste momento de terrível provação e dor".

Vatican News Service - IP

03 maio 2021, 07:29