Busca

Vatican News
Esposa de Paul Delacruz Megia segura uma vela com uma foto dos dois enquanto fala durante uma vigília de oração pelas vítimas de um tiroteio em um pátio ferroviário em San Jose, Califórnia, EUA, 27 de maio de 2021 . REUTERS / Brittany Hosea-Small Esposa de Paul Delacruz Megia segura uma vela com uma foto dos dois enquanto fala durante uma vigília de oração pelas vítimas de um tiroteio em um pátio ferroviário em San Jose, Califórnia, EUA, 27 de maio de 2021 . REUTERS / Brittany Hosea-Small  (Copyright Brittany Hosea-Small bhoseasmall@gmail.com)

EUA: após novo tiroteio, bispos voltam a defender regulamentação de armas

“Este tiroteio nos recorda mais uma vez que há algo de fundamentalmente errado em nossa sociedade e cultura que deve ser enfrentado com coragem, para que os lugares comuns da vida cotidiana não se tornem mais palco de violência e desprezo pela vida humana”, diz o presidente do Comitê Episcopal para Justiça Interna e Desenvolvimento Humano, Dom Paul S. Coakley.

Vatican News

Ouça e compartilhe!

Regulamentação "racional e efetiva" de armas de fogo e monitoramento das situações de maior risco. É o que pede a Conferência Episcopal dos Estados Unidos (USCCB), após mais um tiroteio no país, ocorrido na quarta-feira, 26, no pátio de manutenção ferroviária da Autoridade de Transporte do Vale de Santa Clara, em San José, Califórnia. Nove mortos, além de inúmeros feridos, vítimas dos tiros disparados por um funcionário de uma empresa de transportes local, que abriu fogo contra os colegas após se apresentar armado para uma reunião sindical, suicidando-se em seguida. 

“Este tiroteio nos recorda mais uma vez que há algo de fundamentalmente errado em nossa sociedade e cultura que deve ser enfrentado com coragem, para que os lugares comuns da vida cotidiana não se tornem mais palco de violência e desprezo pela vida humana”, diz em uma declaração do presidente do Comitê Episcopal para Justiça Interna e Desenvolvimento Humano, Dom Paul S. Coakley. “Como americanos, precisamos entender por que esses episódios horríveis de violência continuam a acontecer em nossas comunidades e, então, agir sem demora para erradicar as causas de tais crimes”.

Recordando como há anos a Conferência Episcopal pressiona por uma regulamentação da venda e do uso de armas de fogo, os bispos pedem também uma maior presença dos serviços sociais e de saúde mental para identificar as situações onde o risco de degeneração de conflitos é maior, e assim evitar novas tragédias: “É necessário agir para tentar reduzir a frequência desses atos abomináveis ​​por meio de legislação e formação”, escreve Dom Coakley.

A nota se conclui com um convite aos católicos de todo o país para rezar pelos mortos e feridos e pela cura da comunidade. “Que o Espírito Santo, cuja sabedoria e orientação celebramos no último domingo de Pentecostes, possa nos trazer consolo e força neste tempo de grandes perdas”.

O presidente Joe Biden também se pronunciou sobre o massacre de San José, determinando bandeira a meio mastro na Casa Branca: "Cada vida tirada por uma bala, traspassa a alma de nossa nação. Podemos e devemos fazer mais", disse Biden em um comunicado.

Vatican News Service - LZ

28 maio 2021, 06:50