Busca

Vatican News
José também foi "carinhoso e terno, gentil e generoso", o tipo de homem que os sacerdotes gostariam de ser em relação aos outros José também foi "carinhoso e terno, gentil e generoso", o tipo de homem que os sacerdotes gostariam de ser em relação aos outros  (Karamallah Daher)

São José, modelo também para os sacerdotes, recorda Primaz da Irlanda

Na homilia, o Primaz católico da Irlanda exortou os sacerdotes irlandeses a consagrarem seu sacerdócio ao Esposo de Maria, neste Ano especial a ele dedicado, recordando as muitas virtudes do Padroeiro da Igreja universal e seu exemplo a ser seguido. “José, homem de oração, de profunda fé e esperança em Deus” é um modelo de vida interior e de obediência à vontade de Deus “que todos os sacerdotes deveriam imitar”.

Vatican News

Ouça e compartilhe!

São José é um modelo não somente para os fiéis leigos, homens e mulheres, mas também para os sacerdotes. Foi o que recordou o arcebispo de Armagh, Irlanda, Dom Eamon Martin, durante a Missa Crismal celebrada na manhã da quarta-feira, 31 de março, na Catedral de São Patrício.

Na homilia, o Primaz católico da Irlanda exortou os sacerdotes irlandeses a consagrarem seu sacerdócio ao Esposo de Maria, neste Ano especial a ele dedicado, recordando as muitas virtudes do Padroeiro da Igreja universal e seu exemplo a ser seguido. “José, homem de oração, de profunda fé e esperança em Deus” é um modelo de vida interior e de obediência à vontade de Deus “que todos os sacerdotes deveriam imitar”.

Como São José, “sábio e fiel servidor, chamado por Deus a ser guardião da Sagrada Família”, os sacerdotes também são chamados a “amar Jesus e a sua mãe Maria e a eles ser totalmente devotos”, sublinhou Dom Martin. "Grande trabalhador e homem justo", ele é o modelo perfeito no qual podem inspirar-se no exercício do ministério. A ele, "homem de pureza e castidade", também podem "confiar a promessa do celibato".

José também foi "carinhoso e terno, gentil e generoso", o tipo de homem que os sacerdotes gostariam de ser em relação aos outros, "homens compassivos e misericordiosos, sobretudo com os vulneráveis ​​e aqueles com necessidades materiais e espirituais", disse o Primaz irlandês.

Os sacerdotes podem dirigir-se a este "homem de ação, pronto para enfrentar o exílio e o perigo" para proteger a Sagrada Família, para pedir ajuda e buscar inspiração diante das provações e dificuldades em anunciar a fé "a um mundo às vezes difícil e incrédulo".

Dom Martin concluiu a homilia com um agradecimento especial aos sacerdotes pelo amor e dedicação no exercício do seu ministério pastoral, em um momento particularmente difícil para eles na Irlanda, recordando, nas palavras de Bento XVI, que este serviço “exige muitas renúncias, mas também é uma fonte de alegria”.

Vatican News Service - LZ

01 abril 2021, 08:13