Busca

Vatican News
Papa Francisco diante de uma imagem de São José Papa Francisco diante de uma imagem de São José 

Quaresma com São José - III

Quaresma com São José! A cada semana da Quaresma, o Pe. Rafhael Silva Maciel propõe uma pequena catequese, que este ano terá como linha guia o Ano de S. José, proclamado pelo Papa Francisco. Esta semana o tema é: São José e a criatividade da caridade. Pe. Rafhael é Missionário da Misericórdia e Mestre em Sagrada Liturgia. Confira a terceira reflexão.

Vatican News

O Papa João Paulo II, em 15 de agosto de 1989, oferecia à Igreja a belíssima Exortação Apostólica Redemptoris custos, sobre a figura e a missão de São José na vida de Cristo e da Igreja. Dentre os vários aspectos abordados por São João Paulo II, no número 16, apresenta-se a temática do sustento e da educação de Jesus, em Nazaré, sob o olhar de Maria e de José, que “tinha a alta função de ‘criá-lo’; ou seja, de alimentar, vestir e instruir Jesus na Lei e num ofício, em conformidade com os deveres estabelecidos para o pai [de família]”. São José era o PAI PROVIDENTE.

No decorrer da história da Igreja, porque foi lhe confiado ser o custódio, o guarda, o provedor do sustento de Jesus e de Maria, São José sempre foi invocado como um pai providente por parte dos fiéis. O Beato Papa Pio IX afirmava que a São José Deus “confiou a guarda dos seus tesouros mais preciosos e maiores”. Os santos, em diferentes épocas dão o testemunho dessa guarda providencial de Deus através do auxílio de São José. Sobre a missão de ser o sustento da vida da família de Nazaré, afirma São Bernardo que “São José foi ‘o servo fiel e prudente’ (Mt 24,45), pois Deus destinou-o a ser o apoio de sua Mãe, o sustento da sua carne e o auxiliar do seu desígnio de salvação”.

Santa Teresa d’Ávila testemunha a esse respeito: “Tomei por advogado e senhor o glorioso São José (...). Não me lembro até hoje de ter-lhe suplicado algo que ele não tenha feito (...)” (Livro da Vida 6,6).  Outro santo que fala explicitamente dos favores do Guardião da Sagrada Família é São José Maria Escrivá, que dizia: “O que faz José, com Maria e com Jesus, para obedecer a ordem do Pai, a inspiração do Espírito Santo? Dar-se todo por inteiro, coloca-se ao seu serviço a sua vida de trabalhador”.

São João Paulo II, ainda sobre São José afirmava que “a aparente tensão entre a vida ativa e a vida contemplativa tem em José uma superação ideal, possível para quem possui a perfeição da caridade. Atendo-nos à conhecida distinção entre o amor da verdade (caritas veritatis) e as exigências do amor (necessitat caritatis), podemos dizer que José fez a experiência quer do amor da verdade, ou seja, do puro amor de contemplação da Verdade divina que irradiava da humanidade de Cristo, quer das exigências do amor, ou seja, do amor igualmente puro do serviço, requerido pela proteção e pelo desenvolvimento dessa mesma humanidade” (RC 27).

Nesta Quaresma, que vivemos ainda em tempo de pandemia, experienciamos dramas imensos seja pela perda de pessoas que amamos seja por todas as dificuldades econômicas que vieram à tona com a atual situação. São José, nesse momento desafiante da história, apresenta-se a nós como sinal da providência divina. Papa Francisco na sua Carta Patris corde n. 5, escreve que São José é “o pai com coragem criativa”, apontando o Santo Patriarca como uma intervenção divina, pois através dele “o Céu intervém, confiando na coragem criativa deste homem (...)”.

Nós somos chamados a olhar para São José como um pai providente, que nos ajuda pela intercessão e exemplo a vivermos a criatividade da caridade e aprendermos a “transformar um problema numa oportunidade, antepondo sempre a sua confiança na Providência”. Neste tempo de conversão quaresmal, “se, em determinadas situações, parece que Deus não nos ajuda, isso não significa que nos tenha abandonado, mas que confia em nós com aquilo que podemos projetar, inventar, encontrar” (Patris corde, n.5).

Desse modo, como São José foi guarda e custódio, providente e sinal da caridade divina para com Jesus e Maria, essa Quaresma nos convida a sermos sinal da Providência divina para os mais necessitados. Em tempos de pandemia, de crise econômica provocada por políticas restritivas, o Senhor nos pede amor fraterno, caridade operativa e criativa para com os sofredores desse mundo, aqueles que sofrem materialmente as consequências nefastas da atual crise sanitária e, ao mesmo tempo, sofrem na alma e no espírito – as periferias existenciais!

Como mais um gesto concreto quaresmal, aprendendo da caridade criativa, na escola de São José, durante essa Quaresma façamos algum gesto de caridade para com algum necessitado, com alguma doação material – alimentos ou outro gênero de ajuda material – para alguma instituição de caridade ou mesmo para alguma(s) família(a) que passam necessidade nessa hora tão difícil! Desse modo, nossa penitência nos leve à santa caridade e nossas ações sejam reflexo da oração, realizada conforme a vontade do Senhor.

São José, providenciai!

Boa oração, abençoada meditação!

Roma, 03 de março de 2021

Quarta-feira, II Semana da Quaresma

 

Pe. Rafhael Silva Maciel

Missionário da Misericórdia

Mestre em Sagrada Liturgia

03 março 2021, 09:31