Busca

Vatican News
Estátua de Nossa Senhora sobre Catedral Sírio-Católica de Nossa Senhora da Salvação em Bagdá Estátua de Nossa Senhora sobre Catedral Sírio-Católica de Nossa Senhora da Salvação em Bagdá  (ANSA)

Papa no Iraque: Maria, ponte de diálogo com o Islã

No Iraque, país de maioria muçulmana, Nossa Senhora é amada e recebe muitas orações. "Maria é mencionada no Alcorão em 12 suras, os parágrafos e 70 versículos. Ela é considerada um modelo de fé e religiosidade", afirma o mariólogo Antonino Grasso

Federico Piana- Vatican News

No Iraque, o Papa Francisco sempre esteve próximo a Maria. Não apenas porque uma imagem de Nossa Senhora de Loreto o acompanhou em todas as etapas de uma viagem extraordinária e histórica ou porque ele tinha no palco em Erbil a estatueta de Maria ferida pelo Isis, mas também porque no Iraque, com maioria muçulmana, Nossa Senhora estabeleceu o seu "lar". De fato, o amor que os fiéis muçulmanos têm pela Imaculada Conceição é tão grande que se tornou também um ponto forte no diálogo inter-religioso. "O Alcorão, que contém a doutrina de Maomé transmitida da memória de seus companheiros, é composto de 114 Suras, ou capítulos, dispostos em ordem decrescente de comprimento. Maria está presente em 12 Suras e 70 versículos", diz Antonino Grasso, Mariólogo, membro correspondente da Pontifícia Academia Mariana Internacional e professor no Instituto Superior de Ciências Religiosas 'San Luca' em Catânia.

Ouça e compartilhe!

Quais são os episódios narrados no Alcorão que dizem respeito à Nossa Senhora?

Antonino Grasso: São cinco. Seu nascimento, o retiro no templo, anunciação, o parto e defesa contra uma calúnia atroz. O relato do nascimento de Maria está na terceira Sura. O nome que lhe foi dado significa "devota e piedosa": é confirmada a proteção de Deus à recém-nascida. Ele a fará crescer admiravelmente para que possa se tornar adulta e amadurecer e progredir em bondade, castidade e obediência. Enquanto que a narração do retiro para o templo é encontrada nas Suras 19 e 3. Aqui, o Alcorão narra que Maria se retira muito jovem no templo sob a proteção de Zacarias. Maria é prodigiosamente alimentada por Deus, está na companhia dos anjos e do arcanjo Gabriel, cuja tarefa é torná-la consciente de sua dignidade, de sua posição no plano de salvação e de sua predestinação.

Em seguida, há a narração da anunciação. Como é tratada no Alcorão?

Antonino Grasso: Encontra-se nas Suras 19 e 3. O objetivo do anúncio é o nascimento de um filho chamado Verbo, um termo que para os exegetas muçulmanos significa "fiat", que é o imperativo categórico com o qual Deus trouxe Jesus, filho de Maria, à existência. Quando Maria anuncia que vai se tornar mãe, ela mostra surpresa e invoca sua virgindade e o arcanjo Gabriel lhe diz que tudo é a vontade de Deus para que ela não possa não aceitar algo decretado por Ele. Encontramos em seguida o relato do parto: está na Sura 19. Segundo o Alcorão, o lugar do nascimento não seria uma cidade precisa nem um estábulo ou uma gruta: o nascimento se daria ao ar livre perto de uma palmeira. Quanto às dores de parto, segundo narradores muçulmanos, são dores morais e, portanto, o Alcorão afirmaria a virgindade de Maria. A narração também explica que imediatamente após o nascimento, Maria é consolada pelo recém-nascido que a convida a comer as tâmaras que brotaram na palmeira e a saciar sua sede em uma fonte que Deus tinha feito brotar aos seus pés.

O Alcorão também fala sobre a defesa contra uma terrível calúnia contra Nossa Senhora....

Antonino Grasso: Sim, ela se encontra na Sura 19. Diz que Maria volta para casa após dar à luz e a reação de seus parentes é de indignação por vê-la com um filho sem estar casada. Mas o recém-nascido intervém em voz alta, defende sua mãe, faz justiça à sua inocência, assim como fez Deus que havia demonstrado sua retidão por sua própria providência especial no momento de seu parto.

Qual é o perfil espiritual de Maria na fé islâmica?

Antonino Grasso: Segundo a interpretação dos teólogos muçulmanos, a forma como Maria é apresentada no Alcorão faz dela um modelo de fé e religiosidade, um modelo exemplar da mulher muçulmana e um sinal dado por Deus ao Universo. Maria é considerada um modelo de fé porque ouviu a palavra do Senhor, aderindo interiormente a Deus sem indecisão ou irritação, mas com firmeza. Além disso, ela é considerada um modelo porque vestiu sua fé com todas as características muçulmanas. A Sura 21, versículo 91, por exemplo, diz: "Lembrai-vos dela pura que preservou sua virgindade e alimentou nosso espírito nela e nós fizemos dela e de seu filho um sinal para o Universo".

No Iraque há santuários marianos visitados por muçulmanos?

Antonino Grasso: Um dos lugares marianos mais frequentados é o de Komane, no Curdistão iraquiano. No santuário de um mosteiro fundado no século IV, no dia 15 de agosto é solenemente celebrada a Dormição de Maria. Milhares de peregrinos visitam o santuário a cada ano, incluindo muitos muçulmanos que veneram Maria como a mãe do profeta Jesus. Todos os peregrinos se preparam para a peregrinação com um jejum de cinco dias. Depois há o Santuário da Imaculada Conceição, na cidade de Qaraqosh, na Planície de Nínive, lugar visitado pelo Papa. É o lugar de culto mais conhecido e mais representativo de toda a cidade. Na torre do sino encontra-se uma grande estátua de Nossa Senhora, que assume uma forte conotação simbólica como sinal de renascimento na cidade iraquiana, pois foi restaurada após a expulsão do Ísis, que, de 2014 a 2016, devastou o local de culto e o transformou em um campo de tiro e uma guarnição militar. Aqui também há muitos muçulmanos que vêm prestar homenagem a Maria.

09 março 2021, 10:57