Busca

Vatican News

Bispos da Inglaterra e País de Gales preparam atualização do Lecionário

"O novo Lecionário será um dom para a Igreja na Inglaterra e País de Gales porque aprofundará o amor do povo de Deus pelas Escrituras, pois é essencial que a Palavra seja cada vez mais plenamente compreendida no coração de toda a atividade da Igreja", diz o arcebispo dom Stack. Espera-se para o último trimestre de 2021 a conclusão de todo o trabalho, depois disso o Lecionário deverá ser enviado à Santa Sé para se obter a autorização à publicação definitiva

Vatican News

Ouça e compartilhe

"Depois de consultar várias Conferências episcopais de língua inglesa, os bispos da Inglaterra e do País de Gales estudaram a tradução da Bíblia produzida pela Conferência Episcopal Católica da Índia, aprovada pela Santa Sé e que corresponde às qualidades que a Igreja procura."

Com estas palavras os próprios bispos, numa nota no portal do episcopado, anunciaram a publicação, provavelmente em 2022, do novo Lecionário baseado no texto da Igreja indiana e que substituirá o original que remonta a 1969 e reeditado em 1981.

A obra, lê-se, será "precisa na tradução que transmite o significado dos autores bíblicos, bem como digna e acessível na linguagem necessária para uma proclamação digna da Palavra de Deus".

As principais mudanças que foram introduzidas em relação a 1981 dizem respeito, explicam os bispos, "à modernização da linguagem e sua atualização de acordo com as últimas pesquisas".

Também é nova a disposição dos santos, incluídos no calendário universal desde a última versão do Lecionário, e as leituras adicionais agora preveem alguns ritos litúrgicos que tiveram uma revisão, como o casamento.

"O novo Lecionário será um dom para a Igreja na Inglaterra e País de Gales porque aprofundará o amor do povo de Deus pelas Escrituras, pois é essencial que a Palavra seja cada vez mais plenamente compreendida no coração de toda a atividade da Igreja", disse o presidente do Departamento para a Vida e o Culto Cristão da Conferência Episcopal, o arcebispo de Cardiff, dom George Stack.

O trabalho sobre o volume começou substancialmente nos primeiros meses do ano passado, pelo referido Departamento da Conferência episcopal: a cada duas semanas, os bispos recebiam as seções completadas pelo próprio departamento e depois as revisavam e comentavam sobre elas.

Juntou-se a isto, em julho de 2020, a contribuição da Conferência Episcopal da Escócia, que trabalhou em sua própria versão do Lecionário e compartilhou os resultados com a Igreja católica na Inglaterra.

Posteriormente, o primeiro volume completo da obra foi entregue nas mãos dos bispos em novembro passado, por ocasião de sua assembleia plenária, com indicações litúrgicas para os domingos, solenidades e festas dedicadas ao Senhor, enquanto os trabalhos estão atualmente em andamento no segundo volume que será dedicado aos dias da semana do tempo comum e que, espera-se, será apresentado aos bispos em sua assembleia plenária no próximo mês de abril.

No último trimestre de 2021, por fim, espera-se a conclusão de todo o trabalho, depois disso o lecionário deverá ser enviado à Santa Sé para se obter a autorização à publicação definitiva.

(L’Osservatore Romano)

03 fevereiro 2021, 16:31