Busca

Vatican News
Dom Mazur expressou felicidade pelos 1.883 missionários presentes em 99 países de missão - na América Latina e no Caribe, na África, Ásia, Oceania e Alasca Dom Mazur expressou felicidade pelos 1.883 missionários presentes em 99 países de missão - na América Latina e no Caribe, na África, Ásia, Oceania e Alasca   (AFP or licensors)

Bispo polonês agradece apoio aos missionários, especialmente durante pandemia

Muitas vezes trabalhando em condições extremamente difíceis, os missionários "buscaram forças em Jesus Eucaristia. Como a Serva de Deus Wanda Błeńska, que dedicou toda a sua vida ao cuidado dos leprosos no Uganda, que dizia: “Se não recebesse a Eucaristia todos os dias, não teria forças para trabalhar”; ou a missionária verbita Marian Żelazek, a serviço dos leprosos na Índia, para quem a Eucaristia era uma escola de devoção e de amor fraterno."

Vatican News

“Em nome de todos os missionários e missionários, bem como daqueles que em breve percorrerão caminhos missionários, desejo expressar o meu sincero agradecimento pela vossa oração, dedicação e solicitude pelas missões no mundo”. Foi o que escreveu aos fiéis o presidente da Comissão Episcopal para as Missões, Dom Jerzy Mazur SVD, em um comunicado publicado no site do episcopado, por ocasião do Dia Missionário celebrado pela Igreja na Polônia no dia da Epifania.

O prelado, nesta Jornada de Oração e Assistência à Missão, este ano intitulada "A Eucaristia é a revelação do amor", dirigiu um agradecimento especial às tantas famílias polonesas que, neste tempo de pandemia, redescobriram ser “Igreja doméstica” e apoiaram os missionários com suas orações e solidariedade.

O presidente da Comissão para as missões, tomando como exemplo os Santos que “tinham no coração um enorme amor a Jesus eucarístico. Eram pessoas de profunda adoração”, fez votos que “o seu exemplo encoraje a suscitar a reverência a Jesus Eucarístico e a viver com amor a sua presença sacramental entre nós”.

Ele chamou a atenção para os missionários que, muitas vezes trabalhando em condições extremamente difíceis, buscaram forças em Jesus Eucaristia. Como a Serva de Deus Wanda Błeńska, que dedicou toda a sua vida ao cuidado dos leprosos no Uganda, que dizia: “Se não recebesse a Eucaristia todos os dias, não teria forças para trabalhar”; ou a missionária verbita Marian Żelazek, a serviço dos leprosos na Índia, para quem a Eucaristia era uma escola de devoção e de amor fraterno.

Dom Mazur expressou felicidade pelos 1.883 missionários presentes em 99 países de missão - na América Latina e no Caribe, na África, Ásia, Oceania e Alasca -, pois eles, nas comunidades para onde foram enviados - explicou -  compartilham a verdade de Cristo com aqueles que não ouvem falar dele, levam esperança e consolação, mas também ajuda material aos necessitados. Porém - disse -, para que continuem a servir eficazmente os pobres e sofredores, é necessário o nosso empenho espiritual e material; que os católicos ajudem as missões, não só hoje, quando são recolhidas doações em todas as paróquias para o Fundo Nacional para as Missões, mas sempre.

Ao concluir, o bispo de Ełk desejou “que Cristo, que se revelou às nações pagãs, por meio do serviço missionário da Igreja, alcance o coração e a mente de todos aqueles que ainda não o conhecem e revele seu amor por eles na Eucaristia”, concedendo aos benfeitores das missões as graças necessárias.

Vatican News Service - AP

06 janeiro 2021, 13:59