Busca

Vatican News
Somente em 2016, o Capítulo da Custódia da Terra Santa decidiu estabelecer uma Fraternidade em Trípoli Al-Mina, onde até hoje desenvolve suas atividades pastorais. Somente em 2016, o Capítulo da Custódia da Terra Santa decidiu estabelecer uma Fraternidade em Trípoli Al-Mina, onde até hoje desenvolve suas atividades pastorais.  (AFP or licensors)

Franciscanos no Líbano: solidariedade e diálogo inter-religioso

"No início de fevereiro, distribuiremos alimentos, materiais sanitários e remédios para cerca de 150 famílias. Assim, ajudamos os que mais precisam: libaneses, migrantes, refugiados sírios e palestinos”, conta o superior do Convento dos Franciscanos de Trípoli Al-Mina

Vatican News

A comunidade Franciscana de Beirute, que atua na vida pastoral dos cristãos não só latinos, mas também de outros ritos e dos migrantes filipinos, presta ajuda aos mais necessitados.

Há alguns meses - segundo a Custódia da Terra Santa, - o Convento dos Franciscanos de Trípoli Al-Mina distribui cestas básicas aos indigentes, sobretudo neste período de pandemia. “Entre os beneficiários - explica o superior frei Quirico Calella – encontram-se numerosas famílias muçulmanas. Antes da pandemia, ajudávamos as pessoas que vinham bater à porta da nossa Comunidade. Hoje, também distribuímos cestas básicas para o sustento das famílias. No início de fevereiro, distribuiremos alimentos, materiais sanitários e remédios para cerca de 150 famílias. Assim, ajudamos os que mais precisam: libaneses, migrantes, refugiados sírios e palestinos”.

Em dezembro passado, os franciscanos lançaram outra iniciativa para combater a emergência de Covid-19: uma médica italiana desenvolveu uma obra de voluntariado no convento, realizando, durante uma semana, mais de uma centena de testes sorológicos e exames médicos gratuitos.

No entanto, devido às restrições e bloqueios governamentais, por causa da pandemia, diversas atividades passaram a ser realizadas via Internet.

O Concerto por ocasião da Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos, previsto para o próximo dia 20 de janeiro, será transmitido apenas pela televisão libanesa “Telelumière”. A cantora muçulmana, Muna Hallab, se apresentará no Convento São Francisco, acompanhada por um estudante de órgão, que, para a formação, recebeu uma bolsa de estudos da Custódia da Terra Santa.

O Convento franciscano de Trípoli Al-Mina, no Líbano, que também é um Centro de solidariedade e encontros, presta serviços de alojamento e alimentação: dispõe de espaços para futebol, basquete, vôlei, tênis, judô e dança e é um ponto de referência para os jovens.

Comprometido em promover o diálogo com o mundo muçulmano, nos últimos anos o Convento franciscano tem organizado encontros de formação para cristãos e muçulmanos. Por ocasião do feriado muçulmano do Ramadã, a Comunidade São Francisco ofereceu momentos de confraternização, para comemorar o fim do jejum dos muçulmanos. Por outro lado, para os cristãos, são organizados encontros de formação em contexto prevalentemente muçulmano.

“Devido à pandemia, - disse ainda o Superior Frei Calella - tivemos que limitar as atividades do Centro esportivo e fechar o alojamento. No entanto, esperamos poder realizar a nossa colônia de férias no próximo verão, que dura três semanas e conta com a participação de numerosas crianças, dos cinco aos doze anos”.

A história do Convento São Francisco de Trípoli Al-Mina remonta ao início da chegada dos Franciscanos à Terra Santa. Parece ter sido fundado por frei Elias de Cortona, o primeiro frade que São Francisco de Assis enviou à Terra Santa. Segundo fontes franciscanas, depois do histórico encontro com o sultão de Damietta, em 1219, São Francisco voltou a visitar aquelas terras, em março de 1220, para consolidar os conventos fundados na Síria, a partir de 1217.

Na cidade libanesa de Trípoli, onde, depois, nasceu o subúrbio de Al-Mina, os Franciscanos realizaram um Capítulo provincial, em 1255, o que leva a pensar que aquele Convento era grande e importante. Em 1289, após a sua destruição pelo exército do sultão mameluco Qalawan, os Franciscanos foram, provavelmente, martirizados. Os Frades menores da Custódia da Terra Santa voltaram a residir em Trípoli somente em 1582, em um novo Convento com uma igreja. Desde então, ajudaram os mercadores europeus em trânsito e os cristãos maronitas da região.

Em 1852, a Custódia da Terra Santa contava com a presença de apenas dois religiosos em Trípoli Al-Mina, uma cidade com vista para o mar, situada a cinco quilômetros da moderna Trípoli. Após seis anos, ali foram construídos o Convento dedicado a São Francisco e a igreja. Ali, os frades prestavam assistência espiritual a cerca de duzentos fiéis de rito Latino e outros cristãos de rito Oriental.

Desde 1976, por causa da guerra e de outras dificuldades, a comunidade franciscana não conseguia ter uma estabilidade em Trípoli Al-Mina. Somente em 2016, o Capítulo da Custódia da Terra Santa decidiu estabelecer uma Fraternidade na localidade, onde, até hoje, desenvolve suas atividades pastorais.

Vatican News Service - TC

16 janeiro 2021, 11:31