Busca

Vatican News
Rio Jordão Rio Jordão 

De campo minado a lugar de oração e de paz

Fr. Patton: "o que costumava ser um campo de guerra - porque este era um campo minado - agora é um campo de paz e oração… um lindo sinal de esperança".

George Jaraiseh - Jerusalém

Pela primeira vez, depois de 54 anos, no domingo, 10 de janeiro, a Custódia da Terra Santa pôde celebrar o batismo de Jesus na Igreja Franciscana de São João Batista, localizada na margem oeste do rio Jordão, na área de Qasr al-Yahud. O local estava fechado por decisão militar desde a guerra de 1967 entre Israel, Jordânia, Síria e Egito e havia se tornado um campo minado.

Fr. FRANCESCO PATTON, ofm - Custódio da Terra Santa

Apesar da ausência total de peregrinos, hoje experimentamos sentimentos de grande alegria e satisfação, pois vemos que, quando somos pacientes, perseverantes e acreditamos nos sonhos, os sonhos se tornam realidade. Estamos muito felizes, porque sem esperar e mesmo que o lugar ainda não esteja perfeitamente reestruturado, tivemos a alegria de ser os primeiros a poder celebrar a Eucaristia neste nosso lugar santo.

Em sua homilia, Frei Francesco Patton nos convidou a contemplar o batismo de Jesus e a levar a força da vocação e missão que o Pai nos confiou,  para ser testemunhas deste amor gratuito, que salva e redime, reconcilia e traz a paz.

Nos lembrou que, no ano de 1967, dois sacerdotes celebraram a Santa Missa pela última vez neste Lugar Santo e assinaram o registro das missas; também agradeceu às autoridades civis pelos esforços despendidos para trazer de volta à vida o lugar.

Fr. FRANCESCO PATTON, ofm - Custódio da Terra Santa

O presidente Rivlin muitas vezes compartilhou essa ideia com o Papa Francisco; e sempre falou explicitamente conosco sobre a ideia de valorizar e preservar este lugar; valorizá-lo porque é um lugar significativo para milhões e milhões de peregrinos e preservá-lo para garantir que não se torne um local "comercial", mas permaneça como uma "terra de mosteiros", como é chamada, ou seja, um lugar santo, um lugar de espiritualidade e oração.

SHAI CARMONA - Vice Presidente Administração Civil

As pessoas podem visitar a área da igreja e chegar perto da água, em uma área que foi desminada. Mas temos um programa muito mais amplo aqui, porque a desminagem que fizemos até agora é apenas um primeiro passo. O próximo passo será consertar as estradas e acessos. Temos muito trabalho a fazer e, com sorte, até o final de 2021 poderemos ter um lugar muito mais acessível. Estamos a falar de um orçamento de mais de 15 milhões de Shekel’s, já aprovado.

Em um momento na celebração, o Custódio da Terra Santa reabriu o registro das Santas Missas para conectar o passado com o presente, depois de ter virado a página de uma história de guerra e minas para uma história de paz.

Fr. FRANCESCO PATTON, ofm - Custódio da Terra Santa

O que costumava ser um campo de guerra - porque este era um campo minado - agora é um campo de paz e oração… um lindo sinal de esperança.

Lugar de oração e de paz

 

 

12 janeiro 2021, 11:22