Busca

Vatican News
Frei Francesco Patton, custódio da Terra Santa em peregrinação a Caná. Frei Francesco Patton, custódio da Terra Santa em peregrinação a Caná. 

Caná da Galiléia, sob o olhar e a intercessão de Maria

Frei Patton: "a mensagem que vem de Caná, que vem do Evangelho que lemos neste domingo aqui em Caná, é que o olhar de Maria é um olhar que nunca falha".

Lurdinha Nunes- Jerusalém

Neste domingo, 17 de janeiro, ainda que com um número limitado de participantes, o frei Francesco Patton, custódio da Terra Santa, juntamente com a comunidade dos franciscanos da Galiléia foi em peregrinação até Caná para celebrar a Santa Missa em memória do primeiro milagre de Jesus nas Bodas em Caná a pedido de Maria sua mãe.

Numerosas testemunhas falam de um santuário construido por cristãos. Os franciscanos, presentes em Caná há três séculos, puderam resgatar o santuário em 1879 graças ao padre Egidio Geissler, fundador da paróquia católica local de rito latino. Uma pequena igreja foi construída em 1880 e posteriormente ampliada. Em 1885, uma capela foi construída a aproximadamente  100 metros de distância em homenagem a São Bartolomeu (Nataniel ), um dos apóstolos, natural de Caná. Escavações arqueológicas, realizadas em 1969 por frei Loffreda e em 1997 por frei Eugenio Alliata, mostraram que a sinagoga, construída sobre os restos de casas anteriores, possuía um átrio em pórtico com uma grande cisterna no centro que se conserva até hoje na igreja atual.

Caná da Galiléia
Caná da Galiléia

Fr. FRANCESCO PATTON, ofm - Custódio da Terra Santa

A mensagem que vem de Caná, que vem do Evangelho que lemos neste domingo aqui em Caná, é que o olhar de Maria é um olhar que nunca falha. Mesmo neste momento em que toda a humanidade sofre, em que tantas famílias sofrem, Maria continua atenta, Maria continua a apresentar a seu filho Jesus a situação que vivemos, e Ele continua a intervir. Talvez nem percebamos, mas mesmo em um momento difícil como este Jesus continua agindo e pedindo a nossa disponibilidade para encher as talhas.

 “Provavelmente, desta vez não pedirá para encher as talhas com água - continuou o custódio -, mas pedirà nosso tempo para aliviar a solidão das pessoas que estão sozinhas, pedirà nossa ajuda com recursos econômicos. Pedirà aos  profissionais de saúde  que disponibilizem seus conhecimentos para uma intervenção efetiva no tratamento da pandemia ”.

Caná da Galiléia
Caná da Galiléia

Em sua homilia, frei Francesco Patton recorda também que «somos convidados a compreender todo o valor do amor humano, a partir do amor que Deus tem pelo seu povo e por toda a humanidade, que é como o amor do esposo pela esposa.

No santuário vazio por falta de peregrinos fica a memória dos numerosos casais que passaram para renovar os votos matrimoniais, no local onde foi celebrada as Bodas de Caná.

Caná da Galiléia
18 janeiro 2021, 14:08