Busca

Vatican News
Muitos fiéis nicaraguenses participaram de um dia de oração após ataque contra a Catedral de Manágua Muitos fiéis nicaraguenses participaram de um dia de oração após ataque contra a Catedral de Manágua  (ANSA)

EUA: solidariedade dos bispos com Igreja na Nicarágua

Na sexta-feira, 31 de julho, um homem encapuzado lançou um coquetel molotov na Capela do Sangue de Cristo dentro da Catedral, causando um incêndio que, entre outras coisas, queimou um crucifixo de cerca de quatro séculos, provocando indignação e dor na comunidade católica.

Vatican News

Ouça e compartilhe!

Também os bispos dos Estados Unidos se unem à firme condenação do ataque incendiário contra Catedral de Manágua, que em 31 de julho passado destruiu, entre outras coisas, um antigo crucifixo do século XVII na Capela do Sangue de Cristo. Um ato que o cardeal Leopoldo José Brenes definiu como "uma ação terrorista" e que suscitou forte indignação em toda a Igreja da América Latina e no mundo.

“Junto com o Papa Francisco e nossos confrades na América Latina, condeno este ato sacrílego”, declarou em nome dos bispos estadunidenses dom David J. Malloy, presidente da Comissão para a Justiça e a Paz Internacional da Conferência Episcopal dos Estados Unidos (USCCB).

"O crucifixo alvo do ataque tornou-se uma imagem tocante da Igreja sofredora no país que, desde a tentativa de mediar a paz em 2018, sofreu repetidos ataques verbais e físicos", recorda o prelado que agradece à Administração dos Estados Unidos pela solidariedade demonstrada à Igreja no país da América Central imediatamente após o ataque.

 

A nota exprime, por fim, a proximidade dos bispos estadunidenses aos fiéis nicaraguenses e "a todas as pessoas de boa vontade que lutam pela paz e pela reconciliação na Nicarágua”.

Na quarta-feira, 6, o cardeal Brenes presidiu a primeira Missa após o ataque à Capela do Sangue de Cristo. Em sua homilia, o purpurado exortou os fiéis ainda abalados pelo ocorrido a confiar na Cruz: "A Igreja sempre sofreu e continuará sofrendo, mas a certeza é que o Senhor está conosco. Devemos nos agarrar à Cruz, porque, se estivermos agarrados a ela, quem nos separará do amor de Deus?”.

Neste meio tempo, nenhuma novidade em relação às investigações. Segundo as autoridades, o ato incendiário não foi um gesto intencional.

O ataque contra a Catedral de Manágua é o terceiro ataque registrado nas últimas três semanas contra igrejas na Nicarágua. Em 29 de julho, desconhecidos profanaram a capela de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro no município de Nindirí, enquanto em 27 de julho, na mesma cidade, o Tabernáculo da Capela de Nossa Senhora do Carmo foi jogado ao chão, na Paróquia de Nosso Senhor de Veracruz.

Vatican News Service - LZ

07 agosto 2020, 07:13