Busca

Vatican News
Com um acordo assinado em 2018, a Igreja na Coréia do Sul se compromete  em apoiar, por pelo menos três anos, diferentes programas no país africano Com um acordo assinado em 2018, a Igreja na Coréia do Sul se compromete em apoiar, por pelo menos três anos, diferentes programas no país africano 

Igreja em Burkina Faso recebe ambulância doada pela Arquidiocese de Seul

A solidariedade e a fraternidade entre a Igreja em Burkina Faso e a Arquidiocese de Seul remontam a fevereiro de 2018, quando uma delegação de bispos sul-coreanos, liderada pelo arcebispo de Seul, Dom Andrew Yeom Soo-jung, assinou um acordo para fortalecer a cooperação na evangelização, promovendo o desenvolvimento sustentável no campo da medicina e educação e apoiando financeiramente Burkina Faso.

Vatican News

Ouça e compartilhe!

“Amizade e solidariedade” são os dois sentimentos expressos pelo arcebispo de Ouagadougou em Burkina Faso, cardeal Philippe Ouédraogo, para agradecer à Arquidiocese sul-coreana de Seul pela doação de uma ambulância.

"Estamos muito felizes em receber esse presente - disse o cardeal durante a cerimônia oficial de entrega do veículo, realizada em 3 de agosto em frente à Catedral da Imaculada Conceição em Ouagadougou - Esse gesto representa uma grande ajuda para os cuidados que o Hospital São Paulo VI oferece à população”.

"É um gesto que representa a expressão concreta de amizade e solidariedade entre as duas Arquidioceses", pela qual "agradecemos a Deus", sublinhou ainda o purpurado.

Ao preço de 45 mil dólares, a ambulância será usada para transferir pacientes para os vários hospitais do país e soma-se a outro veículo e a vários equipamentos médicos anteriormente doados pela Igreja Católica na Coréia do Sul.

O presidente do Conselho administrativo do Hospital Paulo VI,  Lené Sebgo, afirmou que "esta nova ambulância vai revolucionar o sistema de organização do hospital", permitindo uma gestão mais ágil e rápida dos pacientes.

Digno de nota que a solidariedade e a fraternidade entre a Igreja em Ouagadougou e a de Seul remontam a fevereiro de 2018, quando uma delegação de bispos sul-coreanos, liderada pelo arcebispo de Seul, Dom Andrew Yeom Soo-jung, assinou um acordo para fortalecer a cooperação na evangelização, promovendo o desenvolvimento sustentável no campo da medicina e educação e apoiando financeiramente Burkina Faso.

Com este acordo, a Igreja na Coréia do Sul comprometeu-se em apoiar, durante ao menos três anos, diferentes programas no país africano, fornecendo também apoio à formação de sacerdotes, em uma parceria entre seus respectivos seminários.

Dois anos atrás, por ocasião da assinatura deste acordo, o cardeal Ouédraogo afirmou que “o cardeal Yeom e eu estamos entre os primeiros cardeais criados pelo Papa Francisco, e vejo isso como um sinal de nossa colaboração”.

De fato, os dois cardeais receberam o barrete cardinalício no mesmo Consistório de 22 de fevereiro de 2014, o primeiro convocado pelo Papa Bergoglio.

Vatican News Service - IP

07 agosto 2020, 07:41