Busca

Vatican News
. A partir do ano letivo de 2021/22, todos os alunos que não frequentam o ensino religioso serão obrigados a seguir a disciplina de ética, obrigatória a partir da nona série. . A partir do ano letivo de 2021/22, todos os alunos que não frequentam o ensino religioso serão obrigados a seguir a disciplina de ética, obrigatória a partir da nona série. 

Áustria: ensino religioso nas escolas é necessário em uma sociedade democrática e pluralista

“Estamos convencidos de que nossos conteúdos e mensagens são valiosos e contribuem para o sucesso da sociedade. Nosso objetivo é preparar os jovens para uma vida participativa na sociedade. Para uma vida moralmente boa, para a qual o Evangelho pode ser um maravilhoso fundamento”, afirma o responsável pela Pastoral educacional da Conferência Episcopal Austríaca, Dom Wilhelm Krautwaschl.

Vatican News

Ouça e compartilhe!

O ensino da religião confessional nas escolas é essencial “se queremos uma sociedade democrática e pluralista”. É o que defende Dom Wilhelm Krautwaschl, bispo de Graz-Seckau e responsável pela Pastoral educacional da Conferência Episcopal Austríaca, em nota publicada no site do episcopado, às vésperas do novo ano escolar que começará na Áustria nesta segunda-feira.

Segundo dados da campanha dos bispos sobre o ensino da religião nas escolas, na Áustria mais de 91% dos alunos participam do ensino religioso católico. “A educação religiosa contemporânea é o lugar onde se abordam quer as questões existenciais como as do bem comum e da coesão social”, afirma por sua vez Andrea Pinz, responsável pelo Escritório Interdiocesano para a Educação e a Formação, que juntamente com o bispo apresentou a nova campanha em uma coletiva de imprensa realizada na sexta-feira em Viena.

Na Áustria, portanto, cerca de 586 mil alunos participam do ensino religioso católico; além disso, existem mais de 24.300 alunos sem confissão religiosa que frequentam o ensino religioso católico de forma voluntária.

A campanha intitulada “Acredito - Sim”, decorrerá durante todo o mês de setembro e incluirá telões informativos nas escolas, painéis publicitários nas áreas públicas das cidades, spots publicitários em formato digital e anúncios impressos.

O ponto-chave da campanha é constituído por perguntas a serem respondidas, tais como: Ainda existem milagres hoje? Agrado a Deus? Há esperança para o mundo? Ou: também posso ter dúvidas?

“A religião é uma parte importante da sociedade global, que deve ser levada a sério, especialmente hoje – observou Dom Krautwaschl. A escola é um lugar de aprendizagem para poder se afirmar mais tarde na vida. E como a religião faz parte da vida, a educação religiosa pertence à escola, como base de uma vida espiritual eticamente correta, integrada na criação divina”.

“Estamos convencidos de que nossos conteúdos e mensagens são valiosos e contribuem para o sucesso da sociedade. Nosso objetivo é preparar os jovens para uma vida participativa na sociedade. Para uma vida moralmente boa, para a qual o Evangelho pode ser um maravilhoso fundamento”, acrescentou o prelado, convencido de que a educação religiosa católica vai muito além da simples transmissão de conhecimentos: “A educação religiosa consiste em procurar encontrar respostas às perguntas que cada um de nós deve enfrentar com uma abordagem espiritual: De onde eu venho? Para onde eu vou? Qual é o sentido da minha vida?".

Andrea Pinz compartilha da opinião: “Uma boa educação religiosa é importante para a vida. A educação religiosa católica convida as pessoas a serem solidárias e pacíficas e mostra caminhos para enfrentar o futuro. Abre o acesso à arte e à cultura, e também contribui para plasmar a vida escolar por meio de elementos festivos e celebrativos e torna possível o encontro com a diversidade religiosa e ideológica”.

Na Áustria, o ensino religioso da própria confissão de pertença é uma disciplina obrigatória nas escolas públicas para todos os alunos que pertencem a uma Igreja ou comunidade religiosa legalmente reconhecida. Todavia, é possível retirar-se da educação religiosa. A partir do ano letivo de 2021/22, todos os alunos que não frequentam o ensino religioso serão obrigados a seguir a disciplina de ética, obrigatória a partir da nona série.

Vatican News Service - RB

31 agosto 2020, 12:18