Busca

Vatican News
Catedral do Sagrado Coração de Jesus em Lahore Catedral do Sagrado Coração de Jesus em Lahore  (AFP or licensors)

O adeus ao padre Francis Nadeem, capuchinho comprometido com o diálogo inter-religioso

"Como homem de paz e de diálogo, inspirou inúmeras pessoas que hoje trabalham ativamente pela mesma causa no Paquistão, para construir uma sociedade que ama a paz", diz padre Qaisar Feroz OFM Cap, secretário da Comissão para as Comunicações Sociais.

Notícias do Vaticano

“Perdemos um sacerdote e um frei maravilhoso, que serviu humildemente em sua comunidade e também chegou a pessoas de outras religiões com a mensagem cristã de paz e amor. Um sacerdote que era conhecido, apreciado e amado não somente entre os cristãos, mas também entre os fiéis de outras religiões".

O arcebispo Sebastian Francis Shaw assim recorda à Agência Fides padre Francis Nadeem OFM Cap, provincial da Capuchinhos no Paquistão, seu companheiro na missão de diálogo inter-religioso por mais de três décadas. O frade, doente e dialisado, faleceu em um hospital em Lahore em 3 de julho, após um ataque cardíaco.

"Ele era cheio de ideias, sempre muito criativo para construir pontes entre pessoas de diferentes religiões, recorda o arcebispo. Ele estava em comunhão e em ótimas relações com pessoas de outras religiões, e sempre trabalhou para difundir a mensagem de paz e amor, em nome de Cristo, em todos os cantos do país".

Mais de 2000 pessoas estiveram presentes na Missa do funeral celebrada na manhã deste 4 de julho, na Catedral do Sagrado Coração em Lahore. A celebração foi presidida por Dom Sebastian Francis Shaw, arcebispo de Lahore, enquanto o arcebispo Joseph Arshad, da Diocese de Islamabad-Rawalpindi, o bispo Indrias Rehmat, da Diocese de Faisalabad, e numerosos sacerdotes concelebraram. Presentes também líderes de outras denominações cristãs e de outras religiões, que vieram dar o último adeus ao padre Nadeem.

Francis Nadeem foi um incansável promotor de diálogo inter-religioso e do ecumenismo por mais de vinte anos em Lahore. Foi secretário executivo da Comissão Episcopal para o Diálogo Inter-Religioso e o Ecumenismo (NCIDE) e liderava a Custódia "Mariam Sadeeqa" dos Frades Capuchinhos no Paquistão desde setembro de 2014. Em 2017, ele foi escolhido pelos confrades para um segundo mandato como Custódio, que deveria se concluir em agosto de 2020.

Nascido em 27 de outubro de 1955, ingressou na Ordem dos Frades Capuchinhos Menores aos 19 anos. Após profissão solene em 1984 e estudos de teologia, foi ordenado sacerdote. Antes de ser eleito Custódio, ocupou o cargo de vice-provincial por dois mandatos consecutivos (de 2002 a 2008).

"Ele era um ponto de referência para nós. Trabalhava para sua comunidade dos frades capuchinhos e dos cristãos, mas sua alma era voltada também para os não cristãos, para construir e fortalecer um espírito de diálogo inter-religioso", observa padre Morris Jalal OFM Cap, seu confrade e antigo companheiro de estudos.

Padre Jalal recorda que "ele deu um bom exemplo em todas as suas obras e responsabilidades que lhe foram atribuídas, quer nas paróquias, como líder da comunidade capuchinha no Paquistão, quer como na importante missão do diálogo inter-religioso. Levaremos no coração o seu empenho e sua brandura, especialmente em tempos de perseguição ".

“À exemplo de Francisco de Assis, ele deu a vida pelo diálogo inter-religioso: sua visão era promover e fortalecer a paz e a harmonia no Paquistão. Como homem de paz e de diálogo, inspirou inúmeras pessoas que hoje trabalham ativamente pela mesma causa no Paquistão, para construir uma sociedade que ama a paz", acrescenta por sua vez padre Qaisar Feroz OFM Cap, secretário da Comissão para as Comunicações Sociais.

E completa:  "Este é o legado que ele nos deixa: era um homem de Deus, bem focado em sua missão evangélica, que sempre perseverou em seu ministério de diálogo inter-religioso e do ecumenismo, criando ótimas relações pessoais com pessoas de outras religiões”.

(AG-PA / Agência Fides)

04 julho 2020, 14:28