Busca

Vatican News
Doente de hanseníase em hospital na Província Thai Bihn, norte do Vietnã, que acolhe mais de 4 mil pacientes com a doença Doente de hanseníase em hospital na Província Thai Bihn, norte do Vietnã, que acolhe mais de 4 mil pacientes com a doença  (AFP or licensors)

Católicos vietnamitas convidados a seguir exemplo do apóstolo dos doentes de hanseníase

Ao tratar, dar comida, remédio e acomodação a pessoas com hanseníase, o missionário francês Dom Jean Cassaigne acabou pegando a doença, o que considerou como "um presente de Deus para saborear a extrema miséria dos doentes de hanseníase". O prelado veio a falecer em 1973, cumprindo seus mais profundos desejos: sofrer uma grande miséria por toda a vida por Jesus e por todos e repousar em paz entre seus doentes de hanseníase.

Vatican News

Ouça e compartilhe!

Dom Joseph Do Manh Hung, nomeado bispo de Phan Thiet em dezembro passado, exortou os católicos vietnamitas a tomarem como modelo o missionário francês Dom Jean Cassaigne - que passou toda sua vida entre as pessoas com hanseníase - convidando-os a rezar pela abertura de sua causa de beatificação.

Junho, recordou o prelado, é o momento para os católicos em todo o mundo entronizarem o Sagrado Coração de Jesus, visto como um símbolo do amor ilimitado e apaixonado de Deus pela humanidade, e o bispo Cassaigne (1895-1973) viveu corajosamente o mistério do Sagrado Coração, servindo de todo o coração os doentes de hanseníase das etnias do distrito de Di Linh, na província de Lam Dong.

Padre Cassaigne, membro da Sociedade das Missões Estrangeiras de Paris (MEP), chegou ao Vietnã em 1926 e um ano mais tarde foi designado para viver junto ao grupo étnico K'hor, na missão Di Linh.

Lá ele começou a acolher e tratar os doentes de hanseníase abandonados por seus familiares e em 1929 fundou o Di Linh Leprosarium, atualmente servido pelas Filhas da Caridade das Irmãs de São Vincente de Paulo. Em 1941 foi nomeado bispo de Saigon (atual cidade de Ho Chi Minh), mas catorze anos depois apresentou sua renúncia e voltou a servir os doentes de lepra em Di Linh.

Passando o resto de sua vida ao lado dos doentes sofredores - observou Dom Hung à UCA News - e oferecendo-lhes tratamento, comida, remédios e acomodação, acabou sendo infectado pela doença, que viu - continua o prelado - "como um presente de Deus para saborear a extrema miséria dos doentes de hanseníase".

Veio a falecer em 1973, cumprindo seus mais profundos desejos: sofrer uma grande miséria durante toda a vida por Jesus e por todos, e repousar em paz entre seus doentes de hanseníase.

O bispo de Phan Thiet, responsável pela Comissão Episcopal para o Clero e os Seminaristas, explicou como a Igreja começou em 2000 a fazer os preparativos necessários para abrir a fase diocesana da causa de beatificação do falecido bispo Cassaigne e recordou que em outubro de 2019, a Congregação para a Evangelização dos Povos -  Pontifícias Obras Missionárias, propôs "o apóstolo dos doentes de hanseníase" como um exemplo de fé e missão.

Como a documentação necessária para a abertura da fase diocesana precisa de um milagre atribuído a ele, Dom Hung convidou os católicos "a rezar a Deus para que dê graça pela intercessão do bispo Cassaigne".

Para esse fim, cópias de sua biografia e uma oração a ser recitada para a abertura da causa de beatificação foram distribuídas a todas as famílias católicas.

Vatican News - AP

05 junho 2020, 09:26