Busca

Vatican News

Bispos do Celam escrevem ao Papa: Pontificado profético e decisivo

Na Carta aberta ao Papa os bispos do Conselho Episcopal Latino-Americano ressaltam que hoje se respira “um novo clima na Igreja”: “a simplicidade”, “o magistério e os gestos” de Francisco mostram “uma Igreja mais evangélica e mais de Cristo”, uma Igreja em cujo centro estão “os pequenos, os pobres, os vulneráveis”. Os bispos agradecem por sua “oração e constante preocupação com a amada Amazônia e com os pobres” e por seu “rico ensinamento”

Vatican News

Ouça e compartilhe

A proximidade do Papa Francisco “às crianças, aos anciãos, aos doentes e aos pobres é um gesto profético decisivo num momento em que o mundo corre o risco de desumanizar-se”: este, o traço característico do Pontificado do Papa Bergoglio, evidenciado na Carta aberta do Celam (Conselho Episcopal Latino-Americano) endereçada ao Santo Padre na segunda-feira, 29 de junho, Solenidade dos Santos apóstolos Pedro e Paulo.

Ressalta-se na missiva que hoje se respira “um novo clima na Igreja”: de fato, “a simplicidade”, “o magistério e os gestos” do Papa Francisco mostram “uma Igreja mais evangélica e mais de Cristo”, uma Igreja em cujo centro estão “os pequenos, os pobres, os vulneráveis”.

Caminhar rumo às periferias geográficas e existenciais

Admiramos a paixão com que o senhor, Santo Padre, “nos exorta a sair da autorreferencialidade e a caminhar rumo às periferias geográficas e existenciais”, escreve o Celam, consciente da importância da missão pastoral, ou seja, “evangelizar com alegria”.

Os prelados latino-americanos dirigem numerosos agradecimentos ao Pontífice: por suas “visitas pastorais a um elevado número de povos” do continente; por sua “oração e constante preocupação com a amada Amazônia e com os pobres”; por seu “rico ensinamento”, expresso nas homilias e nos documentos do magistério, como a Exortação apostólica pós-sinodal “Querida Amazonia”.

Milhões de fiéis e os bispos rezam continuamente pelo Papa

É, portanto, com “um profundo sentimento de gratidão e de afeto” que o Celam se dirige ao Papa: “Santidade, quando sente a fadiga do duro trabalho que Seu ministério requer, desejamos que o senhor saiba que milhões de mãos, no mundo, estão prontas a ajudá-Lo; que milhões de mãos se elevam ao céu rezando pelo senhor a cada dia”, conclui-se a Carta.

Por fim, os bispos da América Latina asseguram ao Pontífice sua “oração contínua”.

Vatican News – IP/RL

30 junho 2020, 12:59