Busca

Vatican News
Homens sem-teto num abrigo no subúrbio de Lyttelton, Gauteng, África do Sul Homens sem-teto num abrigo no subúrbio de Lyttelton, Gauteng, África do Sul  (ANSA)

CEI ajuda países africanos na emergência do coronavírus

Consciente de que esses países enfrentam mais dificuldades em relação à pandemia e de que a situação já dramática pode se tornar devastadora, a presidência da CEI encarregou o Serviço de assistência caritativa em favor dos países do Terceiro Mundo e a Caritas Italiana para elaborarem uma estratégia de ação urgente no campo da saúde e formação.

Cidade do Vaticano

A Conferência Episcopal Italiana (CEI) doou 6 milhões de euros, provenientes dos fundos que os cidadãos destinam à Igreja católica, para ajudar os países africanos e outros países carentes na atual situação de crise mundial devido ao Covid-19.

Poucos dias atrás, o organismo eclesial doou 16 milhões de euros para enfrentar a emergência coronavírus na Itália. Consciente de que esses países enfrentam mais dificuldades em relação à pandemia e de que a situação já dramática pode se tornar devastadora, a presidência da CEI encarregou o Serviço de assistência caritativa em favor dos países do Terceiro Mundo e a Caritas Italiana para elaborarem uma estratégia de ação urgente no campo da saúde e formação.

O caminho operacional identificado, consiste em solicitar uma manifestação de interesse dos hospitais e instituições católicas que trabalham no território. Com essa finalidade, foram atribuídos 5 milhões de euros para os cuidados de saúde, e 1 milhão para a formação, num total de 6 milhões de euros. O primeiro objetivo será equipar as unidades de saúde desses países com dispositivos de proteção para os agentes de saúde, indispensáveis no gerenciamento de emergências, e instrumentos terapêuticos básicos para enfrentar a pandemia.

Serão privilegiadas, sobretudo, as estruturas mais próximas da população, mais periféricas, que já fazem parte da rede de entidades conhecidas e apoiadas no passado, e que se mostraram eficientes. Serão apoiadas também iniciativas para incentivar comportamentos na população que não favorecem o contágio, além da formação e preparação técnica dos agentes de saúde.

As iniciativas devem ser conciliadas com as instituições públicas locais, nacionais, regionais e internacionais, com as autoridades responsáveis, com todas as entidades ativas no território, nos mesmos âmbitos de ação, a fim de favorecer todas as sinergias, seja de acordo com as práticas ordinárias seja de acordo com as extraordinárias exigidas pela situação de emergência.

Os pedidos de financiamento das partes interessadas devem ser enviados, de 14 a 30 de abril, de acordo com a modalidade indicada no site www.chiesacattolica.it/sictm. Dada a seriedade e a urgência da situação, os projetos devem ser finalizados após três meses do envio da contribuição solicitada.

03 abril 2020, 13:29