Busca

Vatican News
Comunidade cristã na Índia é vítima de constantes ataques por parte de extremistas hinduístas Comunidade cristã na Índia é vítima de constantes ataques por parte de extremistas hinduístas 

Arcebispo de Bangalore condena remoção de estátua de Jesus de cemitério cristão

A comunidade cristã tem sido alvo de constantes atos de intolerância por parte de radicais hinduístas na Índia.

Cidade do Vaticano

"Um golpe na harmonia entre comunidades" e "uma violação da liberdade religiosa garantida pela Constituição indiana". Com estas palavras, o arcebispo de Bangalore, Dom Peter Machado, denuncia a remoção forçada de uma estátua de Jesus e 14 cruzes de um cemitério cristão de um povoado no Estado indiano de Karnataka.

O cemitério Mahima Betta está localizado em Doddasagarahalli e a remoção foi ordenada pelas autoridades policiais sob pressão de grupos hinduístas radicais, que acusam a comunidade cristã de ocupar ilegalmente o terreno e fazer conversões forçadas.

Acusações "completamente falsas", afirma em uma nota Dom Machado, que define como “inaceitável” a remoção da imagem da área do cemitério, concedida legalmente à comunidade cristã. O arcebispo também critica as autoridades por terem se curvado diante das pretensões de grupos "de fora" da pequena cidade.

"Interferir desnecessariamente nos princípios e práticas religiosas dos cristãos, deixando-se condicionar pelas pressões de alguns grupos, não garante credibilidade ao governo e às autoridades locais", sublinha o prelado, recordando que os habitantes de Doddasagarahalli nunca criaram problemas nem para os sepultamentos, nem para as devoções dos cristãos que peregrinam em grande número à colina no período antes da Páscoa e durante a Semana Santa.

“Como todos sabem, os cristãos são pessoas que amam a paz, que obedecem às leis do país. (...) Se há casos de conversões forçadas, que o governo abra uma investigação e tome as medidas necessárias", diz o arcebispo, que pede então às autoridades para que seja reinstalada imediatamente a estátua no local e que sejam “tomadas medidas contra aqueles que realizaram esses atos, que amarguraram a comunidade”.

A episódio do cemitério de Mahima Betta é apenas o mais recente dos muitos atos de intolerância religiosa por parte de grupos fundamentalistas hinduístas contra a comunidade cristã em Karnataka. Estado que, juntamente com Maharashtra, detém o triste primado da violência sectária anticristã na Índia.

Entre os Estados indianos com maior número de violência contra os cristãos, além dos dois citados, estão Orissa, Andra Pradesh, Chhattisgarh, Gujarat, Madhya Pradesh, Tamil Nadu e Kerala.

 

05 março 2020, 16:01