Busca

Vatican News
Os sacerdotes responsáveis pelo exercício do culto nestes locais  (párocos, reitores, capelães, etc.) cuidarão para que esta disposição seja observada, antes de tudo com o fechamento das salas de culto e de qualquer outra iniciativa voltada a esse fim. Os sacerdotes responsáveis pelo exercício do culto nestes locais (párocos, reitores, capelães, etc.) cuidarão para que esta disposição seja observada, antes de tudo com o fechamento das salas de culto e de qualquer outra iniciativa voltada a esse fim.  (ANSA)

Fechadas igrejas na Diocese de Roma até 3 de abril

A determinação do vigário do Papa para a Diocese de Roma, cardeal Angelo de Donatis, foi divulgada no final da tarde de quinta-feira. Esta disposição, recorda o cardeal, é para o bem comum. “Acolhamos as Palavras de Jesus que nos diz: "Onde dois ou mais estiverem reunidos em meu nome, eu estarei em meio a eles" (Mt 18,20). Atualmente, ainda mais, nossas casas são Igrejas domésticas.

Cidade do Vaticano

O vigário do Papa para a Diocese de Roma, cardeal Angelo de Donatis, em atenção ao decreto da Presidência do Conselho dos Ministros de 11 de março de 2020, determinou no final da tarde de quinta-feira, 12, que todas as Igrejas da Diocese fiquem fechadas até o dia 3 de abril.

Ouça e compartilhe!

A medida soma-se às disposições anteriores de suspensão das atividades ordinárias nas paróquias, reitorias e outros locais de culto, e é uma resposta ao decreto do Governo italiano do dia 11, que limita, entre outros, a circulação de pessoas, como medida para evitar a propagação do coronavírus.

"Estamos enfrentando uma situação gravíssima no plano da saúde [...] A cada um, em particular, é solicitado ter a máxima atenção, porque qualquer imprudência na observância das medidas de saúde poderia prejudicar outras pessoas. A decisão de fechar as igrejas também pode ser uma expressão dessa responsabilidade. Isso não ocorre porque é uma imposição do Estado, mas pelo sentido de pertença à família humana, exposta a um vírus cuja natureza e propagação ainda não conhecemos", escreve o cardeal justificando a medida.

 

No dia 8 de março, o Escritório Nacional para as Comunicações Sociais da Conferência Episcopal Italiana já havia divulgado um comunicado determinando a suspensão das celebrações das Missas e outras atividades pastorais que envolvessem aglomeração de pessoas. Assim, com esta atualização das medidas anteriores, é determinado que até sexta-feira, 3 de abril de 2020, fica interditado para todos os fiéis o acesso às igrejas paroquiais e não paroquiais da Diocese de Roma, e de forma mais geral aos locais de culto de qualquer natureza abertos ao público. 

Permanecem acessíveis somente os oratórios de comunidades religiosas estavelmente constituídas (congregações, mosteiros, etc ),  que a eles terão acesso somente os residentes estáveis nestas comunidades,  com interdição ao acesso dos fiéis que não fazem parte ​​das comunidades acima mencionadas.

Consequentemente, os fiéis estão isentos da obrigação de cumprir o preceito festivo (cf. cân. 1246-1248 C.I.C.).

Os sacerdotes responsáveis ​​pelo exercício do culto nestes locais  (párocos, reitores, capelães, etc.) ficam responsáveis para que esta disposição seja observada, antes de tudo com o fechamento das salas de culto e suspensão de qualquer outra iniciativa voltada a esse fim.

Esta disposição, recorda o cardeal De Donatis, é para o bem comum. “Acolhamos as Palavras de Jesus que nos diz: "Onde dois ou mais estiverem reunidos em meu nome, eu estarei no meio deles" (Mt 18,20). Atualmente, mais ainda, nossas casas são Igrejas domésticas.

13 março 2020, 06:48