Busca

Vatican News
Até o momento foram confirmados oito casos de positivos para o Covid-19: "este é apenas o começo" de um drama muito maior que, mais cedo ou mais tarde, afetará toda a população", alerta sacerdote redentorista. Até o momento foram confirmados oito casos de positivos para o Covid-19: "este é apenas o começo" de um drama muito maior que, mais cedo ou mais tarde, afetará toda a população", alerta sacerdote redentorista.  

Pandemia terá consequências devastadoras no Haiti

“Estamos diante de uma catástrofe anunciada. O que acontecerá devido à pandemia será catastrófico, porque aqui vivemos dia por dia e não temos os instrumentos essenciais para lidar com esse vírus", diz o superior Regional dos Redentoristas da ilha, padre Renold Antoine.

Vatican News

A pandemia "Covid-19" não faz distinções, parece atingir todos os países do mundo. Mas em alguns Estados, em particular, os surtos de vírus provocam danos maiores. É o caso do Haiti, nação ainda provada pelo dramático terremoto que, há dez anos, causou mais de 200 mil vítimas, deixando um rastro de morte e destruição.

Ouça e compartilhe!

“Estamos diante de uma catástrofe anunciada - explica padre Renold Antoine, superior Regional dos Redentoristas da ilha, citado pela agência Cath. O que acontecerá devido à pandemia será catastrófico, porque aqui vivemos dia por dia e não temos os instrumentos essenciais para lidar com esse vírus".

Até o momento foram confirmados oito casos positivos para o Covid-19, mas - sublinha o padre Antoine - "este é apenas o começo" de um drama muito maior que, mais cedo ou mais tarde, afetará toda a população.

"As pessoas vivem nas ruas - reitera o sacerdote - não há água limpa nem para lavar as mãos, não há eletricidade nas casas e nem mesmo nos hospitais".

Reservatório com água potável em Porto Príncipe
Reservatório com água potável em Porto Príncipe

Por sua parte, os Redentoristas se empenham em oferecer, quer ajuda espiritual como material. Após o fechamento das igrejas por determinação do Estado, em conformidade com as regras de saúde anti-contágio, as Missas passaram a ser transmitidas ao vivo nas redes sociais e alguns reservatórios de água limpa foram disponibilizados para a população.

"Também compartilhamos a comida com as pessoas mais pobres", conclui o padre Renold, rezando ao Senhor para proteger o país, privado de tudo, sobretudo das "instalações de saúde necessárias para enfrentar essa crise".

Atingido em 12 de janeiro de 2010 por um terremoto de magnitude 7, o Haiti tenta se reerguer, mas o processo de reconstrução prossegue lentamente, apesar da ajuda da comunidade internacional. Mais de 300 mil pessoas ainda vivem em favelas e 55% da população tem menos de dois dólares por dia e não tem o que comer.

Nesse difícil contexto, a Igreja não deixa de fazer sentir sua presença com muita força: os missionários locais - como os camilianos e os scalabrinianos - arregaçaram as mangas, ampliando suas estruturas de saúde para acolher a população e reconstruir povoados para abrigar as pessoas deslocadas.

55% da população tem menos de dois dólares por dia e não tem o que comer.
55% da população tem menos de dois dólares por dia e não tem o que comer.
28 março 2020, 08:12