Busca

Vatican News
Cardeal Tagle Cardeal Tagle 

Bispos filipinos defendem cardeal Tagle de acusações falsas

Filipinas: os bispos defendem o cardeal Tagle de acusações "falsas" feitas por Duterte: "o presidente se ocupe dos reais problemas do país".

Silvonei José - Cidade do Vaticano

Afirmações "ridículas" e "sem fundamento". Dessa maneira, a Conferência Episcopal das Filipinas (CBCP) respondeu a algumas graves acusações feitas nos últimos dias pelo Presidente Rodrigo Duterte contra o cardeal Luis Antonio Tagle, arcebispo emérito de Manila nomeado prefeito da Congregação para a Evangelização dos Povos no último dia 8 de dezembro.

Falando à assembleia geral da Federação de Municípios das Filipinas, reunida em Pasay City, Duterte disse que o cardeal teria sido removido pelo Papa Francisco por causa de sua interferência política. Além disso, afirmou, que teria desviado fundos da Igreja em favor de um partido de oposição.

"Estas acusações são incrivelmente ridículas", disse em um post dom Pablo Virgilio David, vice-presidente da CBCP, que em uma declaração posterior divulgada pela agência dos bispos Cbcpnews convidou Duterte a se ocupar dos reais problemas do país, começando com a emergência do Coronavirus que também está se difundindo nas Filipinas.

Às palavras de dom David seguiram-se as do bispo de Balanga Ruperto Santos que citado pela CNN, falou de "mentiras e distorção dos fatos", sublinhando que a nova missão do cardeal Tagle "é uma graça de Deus e uma bênção para as Filipinas".

Segundo dom Broderick Pabillo, que sucedeu ao cardeal Tagle como Administrador Apostólico da Arquidiocese de Manila, as acusações não merecem sequer um comentário. Outro bispo filipino, dom Alberto Uy, disse que o novo prefeito goza da "plena confiança do Papa Francisco" e que é "um modelo de humildade, bondade, integridade e santidade".

As declarações de Duterte são as últimas de uma série de ataques do líder político filipino à Igreja local nos últimos anos. Estes ataques estão principalmente relacionados com as críticas dos bispos à sua "guerra contra as drogas" e com as graves violações dos direitos humanos perpetradas pelas força de ordem filipinas, repetidamente denunciadas por numerosas ONGs e pela comunidade internacional.

 

14 março 2020, 08:28