Busca

Vatican News

Dom Coleridge: 'Querida Amazonia', um desafio para a Igreja australiana

Como na Amazônia, também “na Austrália presenciamos, por vezes de modo dramático, o dano causado pelos abusos contra a terra, não somente no ambiente, bem como na flora e fauna, nas comunidades e em tantas pessoas”, afirma o presidente dos bispos australianos. A Exortação “Querida Amazonia” reitera o que Francisco afirmou na “Laudato si’ sobre o dever da Igreja de cuidar da nossa casa comum”, acrescenta o arcebispo

Cidade do Vaticano

Um texto que não diz respeito somente a uma região remota do mundo, mas tem muito a dizer também à Igreja na Austrália. Com essa ponderação, o arcebispo de Brisbane e presidente da Conferência Episcopal Australiana, dom Mark Coleridge, comenta a Exortação pós-sinodal “Querida Amazonia”, do Papa Francisco, publicada na quarta-feira (12/02) depois do Sínodo de outubro passado no Vaticano.

Ouça e compartilhe!

Também na Austrália, os danos causados contra a terra

“A Amazônia é distante de nós, mas seus problemas não o são”, disse o prelado. Em particular, duas questões cruciais tratadas pelo Sínodo e no documento pontifício – a cultura indígena e uma compreensão integral da ecologia – merecem uma atenção prioritária no contexto australiano.

Como na Amazônia, também “na Austrália presenciamos, por vezes de modo dramático, o dano causado pelos abusos contra a terra, não somente no ambiente, bem como na flora e fauna, nas comunidades e em tantas pessoas”.

Exortação reitera dever da Igreja de cuidar da casa comum

A “Querida Amazonia”, acrescentou o arcebispo, reitera o que Francisco afirmou na “Laudato si’ sobre o dever da Igreja de cuidar da nossa casa comum” aplicando “corajosamente os ensinamentos papais a um contexto particular”.

Para ele, também a atenção do Papa às culturas indígenas na Amazônia interessa de modo particular à Austrália “considerada a terrível falta de progressos” para reduzir o fosso socioeconômico entre as populações aborígenes e as não aborígenes australianas. Nesse sentido, elas são “um desafio e um encorajamento” para a Igreja no país.

Ajudar Igreja na Amazônia a superar a carência de sacerdotes

Em seguida, o presidente da Conferência Episcopal Australiana se deteve sobre o convite do Papa Francisco aos bispos do mundo inteiro a ajudar a Igreja na Amazônia a superar sua dramática carência de sacerdotes.

“Para nós na Austrália é difícil conceber a ideia de que se possam passar semanas, meses ou anos sem poder ter acesso à Eucaristia. É muito doloroso para os povos da Amazônia”, observou.

Documento do Papa, estímulo para a Igreja australiana

O arcebispo recordou também a ênfase da importância do protagonismo dos leigos e do papel dos consagrados e dos diáconos permanentes na Igreja na Amazônia: “Quando todos fazem a sua parte, o testemunho da Igreja assume mais força”, disse ainda.

Segundo dom Coleridge, a Exortação “Querida Amazonia” será um estímulo importante para a Igreja australiana que está se preparando para celebrar este ano seu Conselho plenário.

*O título da Exortação pós-sinodal “Querida Amazonia” segue a grafia do texto original em língua espanhola.

14 fevereiro 2020, 15:20