Busca

Vatican News

Missa em desagravo por igreja incendiada no Chile

A construção da igreja remonta a 1876. No início era a Capela do Sagrado Coração de Jesus do Hospital São Borja. Ela localiza-se no mesmo setor onde há algumas semanas foram incendiadas as igrejas “La Assunción” e “La Vera Cruz”. No sábado os Carabineros de Chile haviam lamentado em um tweet o incêndio do templo por manifestantes.

Cidade do Vaticano

Dom Santiago Silva, bispo e capelão militar, presidiu uma Missa de reparação diante da Igreja de São Francisco de Borja, usada pelo corpo de Carabineros para celebrações, queimada na última sexta-feira por um grupo de encapuzados que se manifestavam em uma praça nas proximidades.

"Eles queimaram o templo, mas não queimaram a comunidade, não queimaram a fé", disse o prelado durante a homilia da Missa concelebrada pelo Núncio Apostólico no Chile, Dom Alberto Ortega Martín, pelos bispos auxiliares da Arquidiocese de Santiago, capelães do Exército, Marinha e Aeronáutica, o Diretor Geral de Polícia e centenas de oficiais e civis.

Em um altar improvisado diante das portas queimadas da Igreja, o bispo refletiu sobre “a violência, os justos anseios da população, a falta de diálogo, a falta de respeito a pessoas e instituições”, desencadeadas com as manifestações sociais e os distúrbios de rua que, desde outubro de 2019, abalam diversas cidades em todo o país, em particular o centro da capital Santiago.

“Precisamos da conversão do coração, para que o Senhor, diante desta igreja dos Carabineros destruída, nunca nos faça perder o desejo de ter um Salvador para poder reconstruir nossa sociedade, como sociedade na justiça, na paz, na lei”, enfatizou Dom Silva.

A Igreja de São Francisco Borja, construída no final do século 19 e designada aos Carabineros em 1976, foi atacada por um grupo de encapuzados que participaram de uma manifestação na vizinha Plaza Baquedano. Os manifestantes pegaram cadeiras, móveis e Bíblias que foram queimadas em frente à igreja, deixando completamente destruído o interior do templo. As chamas se propagaram, pois os vândalos não impediram a ação dos bombeiros para controlar o fogo.

No final da Eucaristia, juntamente com a oração da Ave Maria, a comunidade foi convidada a fazer o gesto de abrir e passar pelas portas do templo queimado.

07 janeiro 2020, 11:34