Busca

Vatican News

Um presépio....e cinco terços do Papa Francisco!

Confira os vencedores da "campanha natalina" do Vatican News, inspirada na Carta Apostólica do Papa Francisco "Admirável sinal", sobre o valor e a importância do presépio.

Cidade do Vaticano

O anúncio nas redes sociais era: "deixe-se inspirar pela Carta Apostólica do Papa Francisco e conte - através de vídeo, foto ou texto - como o presépio marcou a sua vida. O melhor relato será contemplado com um terço abençoado pelo Papa Francisco".

Pois bem, a redação do Vatican News não esperava tamanha participação! E o que era para ser um terço, no final se tornaram cinco: um para o melhor vídeo, a melhor uma foto e os melhores três textos.

Os vencedores são: Cássia Regina de Moraes Souza, de Santa Branca (SP); Padre Hugo Silva Barcelos, de Campina Verde (MG); Douglas Diego Palmeira Rocha, de Monte Mor (SP); Maura Pereira, de Campo Grande (MS) e Vera Loureiro, do Rio de Janeiro (RJ). 

FOTO

As fotos de Cássia Regina (que ilustram esta reportagem) mostram o presépio da família às margens do Rio Paraíba do Sul. Eis o relato que acompanha as fotos:

Nosso presépio nos acompanha há 15 anos. Este ano resolvemos montar às margens do Rio Paraíba do Sul, lembrando que nestas águas foi encontrada a imagem de Nossa Senhora Aparecida. Padroeira do nosso país e de minha comunidade. Montamos em diversos lugares da casa ao longo dos anos, mas este ano foi especial, estar na beleza da natureza, ver ao fundo o Rio, remete paz e esperança aos nossos corações.

VÍDEO

O Padre Hugo Silva Barcelos, de Campina Verde (MG) é um jovem sacerdote, ordenado em 13 de julho. Ele conta que está vivendo um "período atípico" devido à enfermidade de seu pai. Isto, porém, não impede que a família viva "a beleza e a profecia do Natal".

Confira o relato do Padre Hugo

TEXTO

Os textos selecionados foram escolhidos com base nos elementos contidos na Carta Apostólica do Papa Francisco: falam da transmissão da fé na família, do efeito curativo do presépio e do despojamento.

Douglas Diego Palmeira Rocha, de Monte Mor (SP)

Meu relato sobre o presépio em minha vida...

O presépio em minha vida tem cheiro, tem sabor de lembrança. Ele me remete à religião que conheci e aprendi no colo dos meus avós.

Foi com o meu avô, já falecido, que descobri a beleza de preparar em casa o nascimento do Salvador. E aos poucos, na sua simplicidade de homem da roça, ele me ofereceu uma grande teologia, me ensinando que a Encarnação do Verbo se fazia presente a cada Natal, a cada preparação, a cada gesto em família...

O primeiro presépio que montei foi com ele, me ensinando o valor e significado de cada peça. Mais do que a história do Natal, a montagem do presépio com ele me ensinava que não se é cristão sozinho, que juntos preparamos a vinda do Senhor. E assim era a cada ano, ajoelhados ao chão da sala, desenrolando as luzes, trocando as lâmpadas, montando a árvore, e preparando o presépio.

O desejo de colocar a imagem do Menino Jesus era quase que incontrolável, mas meu avô ia aos poucos me acalmando e explicando, a cada semana, o valor da preparação gradual. Graças a ele, era Advento em casa! Até que chegava a noite de 24 de dezembro; ele tomava a imagem que estava guardada longe do meu alcance, e me entregava: "Agora é hora, Jesus está nascendo. Pode colocá-lo no presépio!"

Enfim, não tenho um relato extraordinário ou espetacular, mas foi na simplicidade da presença e ensinamentos do meu avô, que descobri o valor do Natal. Hoje, na ausência dele, estou aos poucos transmitindo o que dele aprendi à minha filha, de um ano e meio, que hoje manda beijos ao "neném" do presépio.

Sou grato ao testemunho do meu avô, e hoje tento ser para minha filha quem ele foi para mim, meu primeiro catequista, o primeiro a me apresentar o Menino Jesus. E assim, na preparação com a Sagrada Família vamos preparando nossos corações, para que nossa família seja um pouco mais santa...

Maura Pereira, de Campo Grande (MS)

O presépio passou a ser para mim o único exemplo de familia. A imagem da sagrada família no presépio me curou da não aceitação da minha família. Hoje eu luto para viver bem e em paz com os da minha casa; em especial com o irmão que mora comigo. Viver bem em familia é só com o terço na mão, rezando e pedindo a presença da Santa Mãe de Deus junto de nós. Onde está Maria Santíssima, aí Jesus também está. Amém!

Vera Loureiro, Rio de Janeiro (RJ)

O presépio me encantava. Encanto de criança pobre que ao ir à Missa do Galo com meus pais e dois irmãos mais velhos, se repetia anualmente. Éramos muito pobres. Não tínhamos enfeites de Natal. Mas, mamãe muito católica, nos envolvia no clima do Advento e ficávamos esperando o Salvador chegar. Quem sabe, nos traria uma casa mais digna, uma vida melhor, uma surpresa bem legal...

Nessa perspectiva, o presépio da Igreja, Catedral de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, RJ, era minha alegria. Queria brincar com as imagens, pegar no Menino Jesus...Mas, mamãe e papai diziam: - Filha, não pode tocar, senão outras crianças não poderão ver o momento em que Jesus veio a mundo. Então, me conformava. Ao terminar a Missa, corria para lá e queria ver de novo Aquele Bebê especial. Depois, íamos caminhando para comermos uma macarronada em um restaurante simples perto de casa. Era a única vez no ano em que comíamos em um restaurante. Muito simples...Era espaguete e refrigerante. Pronto. Íamos para casa e essa era a Noite de Natal do nosso núcleo básico familiar. No dia de Natal, íamos para a vovó.

 

 

 

13 dezembro 2019, 11:50