Busca

Vatican News
Ato religioso ecumênico de "Ação de Graças" teve lugar na Catedral de Santa Cruz de la Sierra Ato religioso ecumênico de "Ação de Graças" teve lugar na Catedral de Santa Cruz de la Sierra 

Bolívia. Dom Gualberti: garantir democracia real e participativa

Esse é o momento de “um projeto de renovação democrática”, fundado na igualdade social e política. O “sonho comum para nosso país é garantir uma democracia real e participativa” e hoje é “mais do que nunca necessário reafirmar nossa adesão à democracia, porque no mundo estão sendo perdidos espaços democráticos e se tem incrementado sistemas populistas, nacionalistas e soberanistas”, afirmou o arcebispo de Santa Cruz de la Sierra, Dom Gualberti

Cidade do Vaticano

Uma celebração ecumênica de “Ação de Graças”, oficiada na catedral de Santa Cruz de la Sierra, marcou esta terça-feira (06/08) as comemorações pelos 194 anos de independência da Bolívia.

Ouça e compartilhe!

Vigília da campanha eleitoral para as eleições presidenciais

Representantes da Igreja católica, dos coptas ortodoxos, anglicanos, luteranos, metodistas e maronitas, entre outros, participaram do ato religioso, realizado por ocasião da festa nacional boliviana e no momento em que está para ter início a campanha eleitoral para as eleições presidenciais no país andino.

Por parte da Igreja católica participaram, entre outros, o arcebispo de Santa Cruz de la Sierra, Dom Sergio Alfredo Gualberti Calandrina, e o secretário geral da Conferência Episcopal Boliviana (CEB), Dom Aurelio Pesoa Ribera, O.F.M., bispo auxiliar de La Paz.

Convite a uma campanha pacífica e democrática

Em sua homilia, Dom Gualberti ressaltou que o aniversário coincide com a campanha eleitoral em vista das próximas eleições, “nas quais todos nós cidadãos somos chamados a exercer nosso direito e nosso dever de eleger as autoridades chamadas a servir ao país nos próximos cinco anos".

"A campanha eleitoral é sempre um processo delicado e importante, que merece um clima de serenidade, segurança e reflexão, para que se desenvolva de modo pacífico e democrático”.

Não às promessas inexequíveis e à compra de votos

Segundo o arcebispo, “para que os eleitores possam eleger os futuros governantes de modo livre e consciente é preciso uma comunicação exaustiva e objetiva das várias propostas de governo, deixando de lado as antigas práticas das notícias falsas, das mentiras e das meias verdades, das promessas irrealizáveis e, mais ainda, das doações que levam os eleitores a fazer um percurso equivocado e compromissado”.

Sonho de uma democracia real e participativa

Esse é o momento de “um projeto de renovação democrática”, fundado na igualdade social e política. O “sonho comum para nosso país é garantir uma democracia real e participativa” e hoje é “mais do que nunca necessário reafirmar nossa adesão à democracia, porque no mundo estão sendo perdidos espaços democráticos e se tem incrementado sistemas populistas, nacionalistas e soberanistas e cada vez mais o poder político se torna defensor irracional de interesses particulares”, afirmou Dom Gualberti.

(Sir)

07 agosto 2019, 14:39