Cerca

Vatican News
Arcebispo de Maracaibo e presidente da Conferência Episcopal da Venezuela, Dom José Luis Azuaje Ayala Arcebispo de Maracaibo e presidente da Conferência Episcopal da Venezuela, Dom José Luis Azuaje Ayala 

Dom Azuaje, presidente dos bispos venezuelanos: manter a esperança

Dom José Luis Azuaje Ayala convidou a manter a esperança diante das dificuldades, “sendo conscientes de que toda mudança importante tem um custo, consistindo muitas vezes numa luta entre o bem e o mal”. Em todo caso, a Igreja “continuará ao lado do povo e, sobretudo, daqueles que sofrem e dos mais vulneráveis”, assegurou. A assembleia prosseguirá até sexta-feira (12/07) e esta quinta-feira os bispos difundirão uma mensagem dirigida a todo o país

Cidade do Vaticano

A 112ª Assembleia Plenária da Conferência Episcopal Venezuelana, em andamento em Caracas desde domingo (07/07), é dedicada à análise da situação do país, mas também a importantes temas eclesiais.

Ouça e compartilhe!

Sínodo Pan-Amazônico e mês missionário extraordinário

Nestes dias os bispos estão falando sobre o iminente Sínodo sobre a Amazônia, a proteção dos menores, a reforma do Secretariado permanente do episcopado venezuelano (Spev), o mês missionário extraordinário convocado para outubro e sobre a Assembleia nacional de pastoral para 2020.

Encontra-se também presente na assembleia o secretário para os Seminários da Congregação para o Clero, Mons. Jorge Carlos Patrón Wong, que nestes dias está tratando com os bispos acerca da formação dos sacerdotes, falando sobre o tema também com os seminaristas, formadores e animadores vocacionais.

Perda da direção democrática num Estado sem limites

Em relação à situação do país, abrindo a assembleia domingo, o arcebispo de Maracaibo e presidente da Conferência Episcopal Venezuelana, Dom José Luis Azuaje Ayala, afirmou que nos primeiros seis meses deste ano agravou-se ainda mais a condição de vida dos venezuelanos, devido do colapso sistemático dos serviços públicos, ao aumento da violência, ao aumento da emigração e das novas escolhas econômicas do governo. Todos aspectos que, em síntese, são o resultado da perda da direção democrática num Estado sem limites institucionais.

Dom Azuaje exortou “os filhos e as filhas da Igreja a saber sintetizar as responsabilidades cotidianas com a vida de fé, empenhando-se todos os dias na busca de uma sociedade que dê oportunidade de desenvolvimento humano integral”.

Igreja continuará do lado dos sofrem e dos mais vulneráveis

O presidente dos bispos venezuelanos convidou a manter a esperança diante das dificuldades, “sendo conscientes de que toda mudança importante tem um custo, consistindo muitas vezes numa luta entre o bem e o mal”. Em todo caso, a Igreja “continuará ao lado do povo e, sobretudo, daqueles que sofrem e dos mais vulneráveis”, assegurou.

A assembleia prosseguirá até sexta-feira (12/07) e esta quinta-feira os bispos difundirão, como fazem habitualmente, uma mensagem dirigida a todo o país.

(Sir)

10 julho 2019, 14:34