Busca

Vatican News

"Pe. Ezequiel Ramin vive na esperança do povo da Amazônia"

Comunidades na região do martírio do missionário comboniano participam de uma série de eventos em memória do sacerdote, em caminho para a beatificação. Acima, Daniel Seidel. Na reportagem, Pe. Dario Bossi e Dom Zenildo Pereira da Silva.

Cristiane Murray - Cidade do Vaticano

Centenas de fiéis se reuniram domingo, 21 de julho, em Rondolândia (MT), divisa com Rondônia, em memória ao martírio do Padre Ezequiel Ramin, morto em um conflito agrário em 1985. O missionário ordenado na Itália e enviado ao Brasil em 1980, assumiu trabalho em Cacoal (RO) na defesa dos indígenas e dos posseiros sobre o direito das terras, o que lhe custou uma série de ameaças e por fim, a vida.

Peregrinação reuniu centenas
Peregrinação reuniu centenas

 

Comunidades vieram de longe para participar
Comunidades vieram de longe para participar
Romaria foi domingo, 21 de julho
Romaria foi domingo, 21 de julho
Um mártir no caminho para a beatificação
Um mártir no caminho para a beatificação

Comunidades da região se organizaram para promover eventos em torno do aniversário de morte do sacerdote. As atividades começam quarta-feira (17) com a celebração do tríduo e reflexões sobre o chamado de Deus, o envio em missão, e o profetismo e martírio.

Aqui, a reportagem completa:

 

Sábado (20), houve uma celebração na Paróquia Sagrada Família, com a participação do irmão do Padre Ezequiel Ramin, Antônio Ramin, e todas as comunidades de Cacoal.

Para Padre Dario Bossi, ele também missionário comboniano no Brasil, nunca como hoje os direitos indígenas estão sendo ameaçados, a terra disputada e a floresta destruída. Pe. Ezequiel vive na resistência destas comunidades, nas dezenas de projetos de agroecologia e de educação surgidos depois de sua morte:

“Ele vive também de um jeito sempre novo e vivo de ser Igreja; vive na alma e no corpo deste povo resistente, cheio de esperança que se recolheu ao redor de sua memória.”

Segundo Dom Zenildo Pereira da Silva, bispo da Prelazia de Borba (AM), Padre Ezequiel “é importante para nossa fé, para nossa Igreja e para o Sínodo, pois buscou evangelizar e buscar novos rumos para o povo amazônico”.

Confira o testemunho de Dom Zenildo:

Para Daniel Seidel, Pe. Ezequiel Ramin, trabalhador na construção da paz, inspira o compromisso missionário na Amazônia, os povos indígenas, os ribeirinhos, os quilombolas e os migrantes a lutar pelos direitos humanos e a justiça. 

“Seu compromisso, sua dedicação, em sua vida de oração, nos fazeem saber que somos todos parte disso, porque tudo está interligado. Que Deus seja louvado pela vida de Ezequiel Ramin.”

Inspirador do compromisso missionário
Inspirador do compromisso missionário
22 julho 2019, 15:58