Busca

Vatican News
Migrantes haitianos do lado de fora de um abrigo, em Cidade da Guatemala Migrantes haitianos do lado de fora de um abrigo, em Cidade da Guatemala  (AFP or licensors)

Haiti: bispos convocam um ano de oração pelo país

Os prelados deploram “a corrupção generalizada” que tornou-se “um mal endêmico, uma verdadeira chaga social que afeta as instituições, adoece a política, ameaça a democracia e a paz social, danificando seriamente, tanto do ponto de vista ético quanto econômico, o desenvolvimento do país”.

Cidade do Vaticano

“O momento é grave! Os eventos desses últimos dias devem questionar o sentido de cidadania e a consciência patriótica de todos. Precisamos agir em sinergia para salvar o Haiti, nossa pátria e nossa casa comum. Não devemos ser indiferentes. O Haiti não é algo dos outros, mas de cada haitiano.”

É o que escreve a Conferência Episcopal Haitiana (Ceh) numa mensagem na qual destaca mais uma vez a difícil situação do país caribenho e lança a iniciativa de uma grande oração pelo Haiti, até Pentecostes de 2020, segundo informações da Agência Sir.

Apelo à conversão para reencontrar esperança e dignidade

“Conscientes de tudo o que está acontecendo em nosso país e da importância da corresponsabilidade do homem em relação à ação de Deus na transformação da cidade”, lê-se na mensagem, nós, os bispos do Haiti, queremos, através dessa nota, renovar o nosso chamado ao amor, ao patriotismo, à conversão e à oração a fim de tirar o nosso povo fora do abismo em que se encontra e guiá-lo num caminho de esperança e dignidade. Voltemos o nosso olhar para Cristo, Redentor e Salvador do ser humano e de toda a humanidade”.

Ouça a reportagem

Corrupção, mal endêmico e chaga social

Os prelados deploram “a corrupção generalizada” que tornou-se “um mal endêmico, uma verdadeira chaga social que afeta as instituições, adoece a política, ameaça a democracia e a paz social, danificando seriamente, tanto do ponto de vista ético quanto econômico, o desenvolvimento do país”.

“Deploramos uma situação de instabilidade política assustadora”, sublinham os bispos. “Ao mesmo tempo, lamentamos o fato de o nosso país ser sistematicamente empobrecido pela ganância desconcertante de certos líderes que não levam em conta a difícil situação das pessoas necessitadas e não ajudam o progresso e o desenvolvimento nacional”, ressalta ainda a Conferência Episcopal Haitiana.

Iniciativas diocesanas

Diante desse cenário dramático, os bispos relançam a proposta, já formulada em maio passado, de “um ano de oração e adoração pela salvação do país”, iniciado com a Solenidade de Pentecostes deste ano e destinado a continuar até Pentecostes de 2020.

“Deixamos à discrição de cada bispo”, lê-se na mensagem, “as iniciativas a serem empreendidas, com os sacerdotes e as congregações religiosas que trabalham nas dioceses, e as medidas apropriadas para manter o espírito de oração na unidade e em profunda fé. Todo bispo conhece a realidade de sua diocese”, ressalta a nota.

É necessário um ar novo para fazer o país respirar

“Filhos e filhas do Haiti, desejamos profundamente ver todos os haitianos de boa vontade tornarem este ano de oração e adoração constante, uma expressão de seu amor pelo Haiti e terem o desejo de mudar de comportamento e mentalidade”.

O país “quer e deve respirar um ar novo”, ressaltam os bispos haitianos. “Esperamos ardentemente que esse processo traga renovação espiritual e liberte nossas vidas de todos os germes da morte que querem nos manter nessa crise generalizada”, conclui a mensagem da Conferência Episcopal Haitiana.

20 junho 2019, 12:37