Cerca

Vatican News

Morte de migrantes no Rio Grande. Bispos dos EUA: imagem grita justiça ao céu

“Essa imagem mostra a situação cotidiana de nossos irmãos e irmãs. O grito deles não chega somente ao céu, mas também a todos nós e agora deve chegar ao nosso Governo Federal", afirma o cardeal Daniel N. DiNardo.

Cidade do Vaticano

“Esta consequência indescritível de um sistema de imigração falido, somado a crescentes relatos das condições desumanas em que vivem as crianças sob custódia do Governo Federal na fronteira dos EUA, abala a consciência e exige uma ação imediata.”

Essas são as palavras do arcebispo de Galveston-Houston, cardeal Daniel N. DiNardo, presidente da Conferência Episcopal dos Estados Unidos, que se une ao  bispo de Austin, dom Joe S. Vásquez, presidente do Comitê da Conferência Episcopal dos EUA sobre Migração, ao pedir ao Governo Federal dos EUA para ouvir o grito pobres e vulneráveis.

Esta imagem silencia a política de imigração

“Unimo-nos ao Papa Francisco em sua tristeza imensa”, lê-se na declaração conjunta, depois de ver as imagens horríveis de Oscar Martinez e sua filha Angie Valeria, afogados no Rio Grande na tentativa de fugir das perseguições e entrar nos Estados Unidos. Essa imagem grita justiça ao céu e silencia a política. Quem pode olhar essa foto e não ver os resultados fracassados de todos nós em encontrar uma solução humana e justa para a crise da imigração?”

“Infelizmente”, continua a declaração, “essa imagem mostra a situação cotidiana de nossos irmãos e irmãs. O grito deles não chega somente ao céu, mas também a todos nós e agora deve chegar ao nosso Governo Federal. Todas as pessoas, independentemente de seu país de origem ou de seu status jurídico, são imagem de Deus e devem ser tratadas com dignidade e respeito”.

Condições inaceitáveis para as crianças migrantes

“As notícias recentes sobre as condições insalubres e de superlotação são assustadoras e inaceitáveis para qualquer pessoa sob custódia nos Estados Unidos, mas em particular para as crianças, que são particularmente vulneráveis. Tais condições não podem ser usadas como instrumentos de dissuasão. Podemos e devemos permanecer um país que oferece refúgio para as crianças e famílias em fuga da violência, perseguições e pobreza extrema. O Congresso tem o dever de fornecer financiamento aditivo a fim de responder às necessidades das crianças sob custódia federal. O seu projeto de lei suplementar também deveria aumentar a proteção para as crianças imigrantes, incluindo os padrões mais elevados e o controle das estruturas de fronteira. É possível e necessário cuidar da segurança das crianças imigrantes e da segurança de nossos cidadãos, deixando de lado os interesses partidários. Uma nação grande como a nossa é capaz de fazer as duas coisas”, conclui a nota.

Dom Rugarcía: “Rezei com a jovem viúva, consolada por sua fé”

O bispo de Matamoros, dom Eugenio Andrés Lira Rugarcía, foi nesta quarta-feira (26/06), à Casa do Migrante administrada por sua diocese, que dá hospedagem a Tania Ávalos, jovem viúva que perdeu o marido Oscar e a filha Valeria de dois anos.

“Conversamos muito tempo”, disse o prelado. “Ela manifestou sua gratidão pelas pessoas que trabalham na Casa do Migrante e pelas pessoas que a acompanham em todas as práticas e várias necessidades. Fiquei comovido com o seu testemunho de fé. Ela me disse que nesses momentos de grande sofrimento, encontrou na oração a força para confiar no amor de Deus e seguir em frente. Então, rezamos juntos por ela e pelo descanso eterno do marido e sua filha”.

27 junho 2019, 15:14