Cerca

Vatican News
O bairro onde a jornalista foi morta é reduto de nacionalistas, que responderam a uma blitz da polícia lançando coquetéis molotov contra os policiais. O bairro onde a jornalista foi morta é reduto de nacionalistas, que responderam a uma blitz da polícia lançando coquetéis molotov contra os policiais.  (AFP or licensors)

A violência não resolve nada, o amor é mais forte do que o ódio, diz bispo irlandês

O bispo de Derry, Irlanda, Dom Donal McKeown, deplorou a violência ao comentar na manhã Sexta-feira Santa os confrontos entre nacionalistas e policiais, que resultaram na morte da jornalista de 29 anos, Lyra McKee.

"A violência não resolve nada ... acreditamos na mensagem original da Sexta-Feira Santa, de que o amor é mais forte do que o ódio". É o que reitera o bispo de Derry, Irlanda do Norte, Dom Donald McKeown, em um comunicado divulgado na sexta-feira, ao comentar os confrontos entre nacionalistas e policiais, durante os quais a jovem jornalista Lyra McKee foi morta a tiros.

"Nesta manhã da Sexta Feira Santa, um ar profundo de tristeza paira sobre esta cidade. O homicídio da jornalista Lyra McKee está provocando um choque e repulsa generalizados. Nossos primeiros pensamentos e orações são para sua família e amigos, terrivelmente entristecidos por seu assassinato".

O prelado assegura ter "plena confiança de que a comunidade mais ampla se reunirá neste momento para reafirmar nossa convicção de que a violência não resolve nada. Em julho passado, esta cidade de Derry ficou do lado contrário aos que tentavam gerar conflitos. Reitero meu apelo durante a manifestação nity of Purpose su Fahan Street, que destruição e agressão acabam prejudicando as próprias comunidades que alguns reivindicam defender”.

"Não se pode pretender amar seu país e, ao mesmo tempo, causar morte e dor às pessoas que vivem aqui – advertiu Dom McKeown. Todos os que vivem aqui merecem ser amados da mesma maneira".

"Esse espírito de união contra a violência - conclui - nos fez percorrer um longo caminho nos últimos vinte anos. Hoje continuará, porque acreditamos na mensagem original da Sexta Feira Santa que o amor é mais forte que o ódio".

Lyra McKee, de 29 anos, foi morta durante um tumulto no conjunto habitacional Creggan Housing, na noite de quinta-feira, 18, em Londonderry,  Irlanda do Norte. A polícia trata o caso como “ato terrorista”.

O bairro é reduto de nacionalistas, que responderam a uma blitz da polícia lançando coquetéis molotov contra os policiais. Dois carros foram incendiados.

Em meio ao tumulto, um homem armado atirou nos policiais e na jornalista. Ela chegou a ser levada para o hospital, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. Ela  costumava escrever reportagens sobre o conflito na Irlanda do Norte.

20 abril 2019, 20:07