Busca

Vatican News
Bíblia Bíblia  

Uma ponte entre Judeus e Cristãos

O livro The Jewish Annotated New Testament (Anotações Judaicas do Novo Testamento – tradução livre) foi apresentado ao Papa Francisco por ocasião da audiência geral deste 27 de março. Foram os realizadores da obra, ambos judeus, Amy-Jill Levine e Marc Zvi Brettler, a doarem a Francisco uma cópia do livro, fruto do trabalho de setenta estudiosos judeus da Austrália, Israel, América do Norte e do Sul.

Cidade do Vaticano

Nunca teria sido possível completar o livro sem os ensinamentos da Igreja Católica Romana. Desde Nostra Aetate até às numerosas declarações da Comissão para as Relações Religiosas com o Judaísmo da Santa Sé, bem como das Conferências Episcopais Nacionais, a Igreja Católica tem procurado apresentar, de uma forma mais histórica e teologicamente correta, descrições fiéis dos judeus e do Judaísmo. Essas iniciativas ajudaram a criar um ambiente acolhedor para os judeus que desejavam estudar o Novo Testamento. O livro é, portanto, em parte, uma resposta a essas declarações favoráveis.

O livro também é um trabalho sobre a história judaica, pois Jesus e Paulo, e muitas outras figuras do Novo Testamento, eram judeus. A primeira pessoa na literatura a ser chamada de "rabino" é Jesus de Nazaré, e o único fariseu de quem temos escrito documentos é Paulo de Tarso.

O volume oferece notas sobre cada livro do Novo Testamento, com particular atenção ao seu contexto judeu. Também contém cinquenta pequenos ensaios sobre a história do período do Novo Testamento, diferentes compreensões judaicas de Jesus, Paulo e Maria, do Batismo e da Eucaristia, e diferentes leituras das Escrituras de Israel (por exemplo, Isaías 7:14; Isaías 53) e o estado atual das relações entre judeus e cristãos.

O livro é destinado a dois leitores em particular: cristãos que desejam conhecer o contexto judaico do Novo Testamento e judeus que não estão familiarizados com o Novo Testamento ou seu papel nas relações entre judeus e cristãos.

Aos Cristãos

Segundo os estudiosos responsáveis pelo livro, com relação aos cristãos, acreditamos que não compreender plenamente as práticas e crenças judaicas leva a não compreender plenamente Jesus, Paulo e seus seguidores. Nós também tentamos retificar os estereótipos negativos e errados sobre Judeus e Judaísmo que frequentemente, e muitas vezes não intencionalmente, permeiam o ensino cristão.

Alguns leitores cristãos vêem os judeus como gananciosos, legalistas, xenófobos e misóginos, e olham para Jesus como aquele que inventou a graça e a compaixão. Em vez disso, nós mostramos como Jesus e Paulo falam de dentro da tradição judaica, e não contra. Estamos convencidos de que quanto mais os leitores souberem sobre o contexto judaico do Novo Testamento, mais eles poderão apreciar sua mensagem. Como Paulo diz aos gentios em Roma:

“ saiba que não é você que sustenta a raiz, mas é a raiz que sustenta você (Romanos, 11, 18). ”

Aos Judeus

Nós também tentamos encorajar os judeus a ler o Novo Testamento. Isto pode preencher algumas lacunas na educação judaica, que geralmente passa de Macabeus no século II a.C. para documentos rabínicos do início do século III a.C.. No entanto, se queremos que os cristãos nos respeitem, devemos mostrar a mesma consideração por eles. Uma maneira de fazer isso é familiarizar-se com os textos do Novo Testamento e suas interpretações. Outra é reconhecer como os autores e artistas judeus reconheceram em Jesus, Paulo, Maria e outros seguidores, os judeus.

Resultado

Ficamos satisfeitos com a recepção muito positiva do livro. Foi visto como um pouco provocador; o Washington Times, por exemplo, escreveu: "As Bíblias Comentadas não costumam acabar nas primeiras páginas, mas The Jewish Annotated New Testament - o título é suficiente para provocar um debate acalorado – provocou sensação".

Alguns cristãos nos atacaram por causa da nossa afirmação factual de que o Novo Testamento era originalmente uma obra judaica; alguns judeus, baseados apenas no título do livro, nos atacaram porque eles pensam que nós queremos converter os judeus. Mas outras pessoas de várias crenças têm dito que nosso trabalho tem aprofundado seu entendimento do Novo Testamento.

Ao Papa Francisco

Estamos honrados e felizes por apresentar ao Papa Francisco uma cópia do The Jewish Annotated New Testament neste dia 27 de março e por participar de um fórum sobre nosso livro na Pontifícia Universidade Gregoriana no dia 28 de março, a convite de sua Faculdade de Teologia e do Cardeal Bea Center for Judaic Studies (Centro de Estudos Judaicos Cardeal Bea).

Vemos nestes acontecimentos sinais da constante importância do diálogo entre judeus e cristãos e do respeito mútuo que este diálogo promove. Uma vez que a herança espiritual comum entre cristãos e judeus é tão grande, o volume procura reforçar o respeito mútuo e a compreensão que o diálogo bíblico e teológico pode criar. Estamos ansiosos pelo momento em que o Novo Testamento, como parte da história judaica, possa servir como uma ponte entre judeus e cristãos.

Marc Z. Brettler  é Professor de Estudos Judaicos na Duke University em Durham, Carolina do Norte, EUA. Amy-Jill Levine é professora universitária de Novo Testamento e Estudos Judaicos.

 

27 março 2019, 10:40