Busca

Vatican News
O Papa Francisco encontra o Card. Leopoldo José Brenes Solorzano O Papa Francisco encontra o Card. Leopoldo José Brenes Solorzano 

O Papa ao card. Brenes: "Encorajo vocês nesta nova etapa. Que tudo seja pelo bem do povo"

O arcebispo de Manágua antes de deixar Roma em direção da Nicarágua foi recebido nesta segunda-feira, em audiência privada, pelo Papa Francisco. O Santo Padre expressou seu total apoio e carinho pelo povo nicaraguense.

Patricia Ynestroza - Cidade do Vaticano

Nesta quarta-feira será realizado o encontro entre o governo da Nicarágua e a sociedade civil, representada pela Aliança Cívica pela Justiça e a Democracia, na oposição, para superar a crise que o país atravessa. O Pontífice disse ao cardeal Brenes que "está consciente do que está ocorrendo no país. Concedeu a sua bênção e espera que tudo seja para o bem comum do nosso povo".

O trabalho da Igreja na Nicarágua

Em primeiro lugar, disse o cardeal, “compartilhei com o Papa nossos problemas, compartilhei o trabalho dos Bispos da Conferência Episcopal, o que cada um está fazendo para ser ponte, para exercer sua ação pastoral e profética, mas também para ser caminho de comunicação. Sobre isso, o Papa me disse que é assim que um bispo deve ser. Um pastor que constrói pontes ".

Além disso, o cardeal Brenes lembrou ao Papa o caminho que sua Igreja está fazendo agora, neste momento, e que está muito perto das pessoas que sofrem, incentivando à reconciliação, uma reconciliação que consiga curar as feridas", porque uma reconciliação que não cicatriza as feridas do coração vai ser muito difícil. O cardeal recordou as palavras do arcebispo de Manila, card. Dom Luis Antonio Tagle, que dizia: "para curar as feridas tem que tocá-las". Eu creio que a Conferência Episcopal, junto com este presbitério, é o que quer fazer e está fazendo".

O pastor conduz suas ovelhas sem distinções

A Igreja está tocando as feridas do seu povo, disse o cardeal, acompanhando as pessoas, quer estar próximo do governo, bem como dos opositores, porque o pastor não conduz só algumas ovelhas, mas conduz todas. Aquelas que são saudáveis ​​e aquelas que estão feridas.

Nesta terça-feira, o cardeal chega à Nicarágua e sabe que foi convidado para o encontro. Assim que chegar ao seu país, irá se atualizar sobre a situação, sobre o que será feito e qual é o papel da Igreja nesse encontro.

Em outra entrevista ao Vaticano News, o cardeal referindo-se ao primeiro encontro entre o governo e a iniciativa privada, disse que o mesmo foi uma resposta às orações que os bispo têm feito, como pastores. Eles fizeram e fazem campanhas de oração rezando pela paz no país. Os empresários propuseram um caminho de encontros, disse o purpurado. Eles estão "colocando juntas", como disse, questões cruciais para o país, como prisioneiros políticos, liberdade de imprensa, entre outros. Todos temas que deveriam ser tratados em um novo ambiente. Além disso o cardeal dissera que é importante que a OEA tenha retornado ao país e que acompanhe as eleições gerais, quando se realizarem, para que possam ser eleições livres e transparentes, conforme pede o povo.

26 fevereiro 2019, 15:13