Cerca

Vatican News

Dom Ulloa: os jovens esperam o Papa com grande esperança

"Será uma Jornada Mundial da Juventude que envolverá toda a América Central e que, através dos jovens, dará esperança às pessoas das periferias".

Patricia Ynestroza e Adriana Masotti – Cidade do Vaticano

O Papa Francisco está em viagem rumo ao Panamá onde os jovens entraram no clima da Jornada Mundial da Juventude 2019. A expectativa de ver e ouvir Francisco aumenta com o passar do tempo.

É o que confirma o Arcebispo de Panamá, dom José Domingo Ulloa Mendieta, que na conversa com Patricia Ynestroza do Vatican News, afirma: “A poucas horas da chegada do Papa, a juventude do mundo, reunida aqui no Panamá, o espera com grande esperança, com grande expectativa, especialmente os jovens das periferias da América Central. Com muita esperança aguardamos o Papa Francisco que dirigiu o seu olhar aos pequenos, pois sabe que Deus, através deles, pode fazer obras grandes e maravilhosas.”

“Em nome dos jovens digo ao Santo Padre: obrigado Papa Francisco por vir nos visitar, continuar dando-nos esperança e permitir que os nossos sonhos de uma América, uma Igreja e um mundo novos, sejam possíveis.”

JMJ que envolve toda a região

Entrevistado também pelo jornal da Santa Sé, L’Osservatore Romano, dom Ulloa sublinha a importância de o Papa ter escolhido o Panamá como sede dessa JMJ, uma decisão que “marca uma virada incrível, não somente para o Panamá, mas para toda a América Central que viveu momentos extraordinários de comunhão eclesial em preparação a essa festa dos jovens”.

Despertar da esperança para muitos corações feridos

Recordando o tema da Jornada que apresenta aos jovens a figura da Virgem Maria como modelo de vida de fé, o arcebispo prossegue, afirmando que “a cruz peregrina e o ícone de Nossa Senhora Salus Populi Romani da JMJ despertaram a esperança e a fé de muitos corações feridos pela pobreza material e espiritual em suas viagens ao México, Caribe, Estados Unidos, Venezuela e Panamá”.

Jornada: oportunidade preciosa

“Maria nos ajudará a ter mais confiança na palavra de Deus” e a JMJ causará “uma mudança fundamental” no Panamá, disse ainda dom Ulloa.

“Estamos convencidos de que depois da Jornada Mundial da Juventude teremos jovens que, com coragem, irão ao encontro de outros jovens que se distanciaram, que vivem em situação de vulnerabilidade e risco social, para mostrar-lhes com alegria que existe outra realidade, que existe esperança em meio à dor e sofrimento”.

Dom Ulloa declara o desejo de sua Igreja de querer mais do que nunca ser uma Igreja em saída, “que vai às periferias existenciais e geográficas para mostrar o amor e a misericórdia de Deus, através do compromisso e o protagonismo de nossa juventude”.

23 janeiro 2019, 13:27