Cerca

Vatican News

Beata Albertina Berkenbrock: Deus escolhe os pequenos para fazer suas grandiosidades

A Santidade pedida por Deus é revelada nos diferentes e mais profundos lugares. É preciso somente crer para fazer da sua vida um farol de Deus a iluminar o mundo. Uma jovem simples e singela nos mostra que esse caminho de amor é dado a todos nós.

Amábile Corrêa – Diocese de Tubarão/SC, Brasil

Comunidade

Em uma pequena comunidade chamada São Luís, situada ao Sul de Santa Catarina, Distrito de Imaruí - Brasil não é somente abençoada por suas belezas naturais que nos conduzem à exultação dos sentidos.  Mas, no que parece um paradoxo quando se faz referência ao sinuoso trajeto que nos leva a São Luís, nasce nesse espirituoso e bucólico lugar uma menina Santa, de nome Albertina Berkenbrock, que levaria essa comunidade aos quatro cantos do mundo, perpetrando naquele espaço um santuário de Benção e Graça.

Ouça e compartilhe

O bispo emérito da Diocese de Tubarão, Dom Hilário Moser nos escreve: “Nem sempre era fácil chegar a São Luís. Bastava uma chuva grossa que os acessos ficavam intransponíveis. Por isso, pergunta-se: - Como é que Deus foi escolher exatamente nesse lugar, um tanto escondido entre montes e vales, uma menina generosa de alma e fazer dela uma ‘Santa Mártir’? Nessa hora, quem não se lembra de outra menina, chamada Maria, também ela de um lugar sem importância, Nazaré, em que Deus ‘fez maravilhas’ (cf. Lc 1, 49)”.

O nome da comunidade é dado em homenagem ao padroeiro São Luís Gonzaga e é constituída - como descreve o Reitor do Santuário da Beata Albertina, Pe. Auricélio Costa - por mais ou menos 85 (Oitenta e cinco) famílias compondo nesse dado numérico uma base de 300 (trezentas) pessoas que lá habitam, sendo que, muitas delas trabalham em fábricas, serrarias e em casas comerciais que a comunidade apresenta.

Devoção

A devoção local se faz na prática dos que lá habitam, uma vez que o Santuário, erigido com recursos e ofertas dos devotos, permite aos peregrinos, além de conhecer o santuário da menina Beata Albertina Berkenbrock, ainda possam visitar o cemitério, onde foi sepultada, a Gruta do Martírio e o Memorial. As visitas acontecem todos os dias, mas especialmente aos finais de semana, com grupos de peregrinos que vêm tanto das cidades de Santa Catarina, quanto das demais regiões do país e até de outros países para sentir ali, a paz e as bênçãos da Beata, alude Padre Auricélio Costa.

Luz eterna da Beata Albertina Berkenbrock     

Os milagres apontados àquela menina que nasceu em  11 de abril de 1919 atravessam o tempo e os limites da pequena região de São Luís.  A vida que lhe foi tirada de modo tão cruel em 15 de junho de 1931, hoje é símbolo e exemplo de luta, pureza e perseverança na Fé. Pois, se não pôde viver a santidade por um longo tempo de vida na terra, viveu Albertina Berkenbrock, essa mesma santidade nos poucos anos que aqui esteve e vive hoje e sempre ao lado de Deus, Jesus, Maria e de todos os santos no céu.

Principais celebrações 

· Romaria Diocesana -Em junho (primeiro domingo), recordando o dia do Martírio (15/06/1931).

· Peregrinação da Fé - Em setembro (terceiro domingo), na chegada da Primavera ("Albertina, a florzinha mimosa de Imaruí).

28 novembro 2018, 12:21