Cerca

Vatican News
Jornadas Nacionais de Comunicação Social em Fátima, Portugal Jornadas Nacionais de Comunicação Social em Fátima, Portugal 

Portugal: ambiente digital e redes sociais Jornadas Comunicação

A atividade das organizações católicas no ambiente digital e, em particular, nas redes sociais, foi um dos principais enfoques de dois dias de reflexão, em Fátima, que tiveram como título: “Applica-te”.

Rui Saraiva – Porto

Representantes dos meios de comunicação social católicos e de gabinetes de comunicação das dioceses de Portugal reuniram-se nos dias 27 e 28 de setembro em Fátima nas Jornadas Nacionais de Comunicação Social, a 3ª edição em que se assumem como Jornadas de Comunicação Digital.

D. João Lavrador, bispo de Angra, nos Açores, e Presidente da Comissão Episcopal da Cultura, Bens Culturais e Comunicações Sociais em declarações aos jornalistas afirmou que ainda há “um grande esforço” a fazer neste âmbito das aplicações digitais para responder aos vários públicos e realidades com quem comunica a Igreja.

“Hoje a eficácia é algo de fundamental em tudo o que a Igreja faz. Mas tem que ser uma eficácia que introduza a ética” – salientou D. João Lavrador afirmando que é necessário a partir daí “apresentar o Evangelho em linguagem própria da rede e do meio digital”.

Precisamente, sobre o tema da eficácia e da ética na comunicação digital foi oradora nestas Jornadas, Patrícia Dias, professora e investigadora na Universidade Católica e que, em declarações à imprensa, sublinhou que a Igreja Católica “nos últimos anos tem feito um caminho interessante” na utilização de novas ferramentas de comunicação.

Patrícia Dias assumiu dever ser, ela própria, consequente com a “perspetiva humanista” cristã e de “respeito pela pessoa e pelo desenvolvimento humano” e afirmou considerar que as instituições e grupos da Igreja Católica quando comunicam devem pensar em “pessoas” e não apenas em alvos de comunicação ou em meros “consumidores” de comunicação.

Foram também oradores nestas jornadas Juan Della Torre, CEO & Founder da agência argentina La Machi – Comunicacion para buenas causas; Jesus Colina, Diretor Editorial da Aleteia; Fábio Ribeiro, professor da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e Nelson Pimenta, Digital Diretor do Grupo Renascença Multimédia.

Destaque especial para a monja twitteira, Xiskya Valladares, co-fundadora da iMission, que falou sobre “boas práticas para evangelizar nas redes sociais” tendo declarado aos jornalistas que comunicar nas redes sociais “é uma experiência enriquecedora muito bonita” porque pode, assim, encontrar-se com “muita gente boa que não acredita em Deus, mas que se interessa por aquilo que nós podemos dizer”.

“Como diz o Papa Francisco não se trata de fazer proselitismo mas de partilhar o que para nós é valioso e entendermo-nos, criar pontes e cultura do encontro. Eu encontrei-me com pessoas que me ameaçaram ou insultaram mas são uma minoria. E essa gente tem feridas e sentimentos e também uma história que desconhecemos e e não podemos julgá-las” – disse a Irmã Valladares.

De referir alguns relevantes contributos no final das Jornadas: por exemplo, o de Rita Oliveira, da equipa de comunicação do CNE-Corpo Nacional de Escutas que salientou a importância do papel dos influencers (influenciadores) para a difusão de mensagens e valores; ou o contributo de Carla Santos, do projeto juvenil 2.0 dos Salesianos e que assinalou a urgência da “trabalhar a linguagem informal”, algo que se deve traduzir na presença ativa nas redes sociais.

As Jornadas Nacionais de Comunicação Social 2018 foram organizadas pelo Secretariado Nacional das Comunicações Sociais da Igreja Católica em Portugal em colaboração com a Rede Mundial de Oração do Papa.

Laudetur Iesus Christus

Ouça e compartilhe!

 

 

 

 

 

02 outubro 2018, 12:59