Versão Beta

Cerca

Vatican News
Em vários comunicados e declarações, as Dioceses da Pensilvânia reiteram o seu total apoio à investigação federal Em vários comunicados e declarações, as Dioceses da Pensilvânia reiteram o seu total apoio à investigação federal  (2018 Getty Images)

Inquérito sobre abusos na Pensilvânia tem plena colaboração das Dioceses

O Departamento de Justiça dos EUA abriu uma investigação federal após a divulgação do relatório sobre abusos sexuais cometidos por membros do clero na Pensilvânia e recebe pleno apoio das Dioceses. A Igreja "considera-se como parceira da polícia em seu objetivo de eliminar o abuso de crianças, onde quer que possam ocorrer na sociedade", sublinha um comunicado da Diocese de Allentown.

Cidade do Vaticano

As Dioceses da Pensilvânia dão a sua plena colaboração a uma investigação aberta pelo Departamento de Justiça dos EUA sobre abusos sexuais cometidos por membros do clero neste Estado americano. A iniciativa federal realiza-se após a publicação de um relatório em agosto passado, que fala de cerca de 300 padres que abusaram de pelo menos mil crianças nos últimos 70 anos.

Em vários comunicados e declarações, as Dioceses da Pensilvânia reiteram o seu total apoio à investigação federal, que incidiu em particular sobre a entrega da documentação relativa aos abusos, assim como "cooperaram plenamente com os pedidos de informações relativas ao Grande Júri estatal."

Como sublinha o comunicado da Diocese de Allentown, a Igreja "considera-se como parceira  da polícia em seu objetivo de eliminar o abuso de crianças, onde quer que possam ocorrer na sociedade."

Após a publicação do relatório do Grande Júri, o presidente da Conferência Episcopal dos Estados Unidos, Cardeal Daniel DiNardo, havia falado do fracasso da liderança episcopal e de verdadeiro "desastre moral", reiterando o pedido de perdão e o compromisso de percorrer o caminho da verdade, da justiça e da tolerância zero para qualquer forma de abuso.

Em um comunicado divulgado pela Sala de Imprensa do Vaticano sobre os acontecimentos na Pensilvânia, o diretor Greg Burke havia dito que "as vítimas devem saber que o Papa está do lado delas. Aqueles que sofreram são sua prioridade, e a Igreja quer ouvi-los para erradicar este trágico horror que destrói a vida dos inocentes".

Durante a sua visita aos EUA em setembro de 2015, encontrando precisamente na Filadélfia um grupo de vítimas de abusos, o Papa afirmou: "Eu prometo a vocês que vamos seguir o caminho da verdade, onde quer que ela possa nos levar. O clero e os bispos serão chamados a prestar contas se tiverem abusado de crianças ou se não foram capazes de protegê-las".

Em sua carta de fevereiro de 2015 endereçada aos presidentes das Conferências Episcopais e Superiores de Institutos de vida consagrada sobre a Pontifícia Comissão para a Proteção dos Menores, o Papa Francisco assim escreve: "As famílias devem saber que a Igreja não poupa esforços para tutelar os seus filhos e têm o direito de se dirigir a ela com plena confiança, porque é uma casa segura. Por conseguinte, não poderá ser concedida prioridade a outro tipo de considerações, seja qual for a sua natureza, como por exemplo o desejo de evitar o escândalo, pois não há lugar algum no ministério para aqueles que abusam de menores".

Ouça e compartilhe!

 

 

20 outubro 2018, 16:26