Versão Beta

Cerca

Vatican News
Padre Bruno Franguelli ao lado do sacerdote Carlos Montes Rivadiet Padre Bruno Franguelli ao lado do sacerdote Carlos Montes Rivadiet 

P. Carlos Rivadiet SJ, na causa indígena, deu a vida pelo Evangelho

O sacerdote jesuíta espanhol assassinado na Amazônia peruana, tendo dedicado 38 anos de sua vida à causa indígena, deverá inspirar as reflexões no Sínodo para a Amazônia.

Cidade do Vaticano

O assassinato do sacerdote jesuíta espanhol Carlos Montes Rivadiet, 73 anos, encontrado morto na manhã de sexta-feira em uma sala de aula do Colégio “Fé y Alegría”, em Imaza, no Peru, causou comoção também entre os indígenas, a quem dedicou 38 anos de sua vida. Muitos o consideravam como um verdadeiro pai, pelos valores ensinados.

Seu exemplo também será fonte inspiradora para as reflexões no Sínodo para a Amazônia de 2019, como contou ao Vatican News o vice-reitor do Santuário José de Anchiera (ES) padre Bruno Franguelli SJ, ao lamentar a morte do sacerdote com quem conviveu durante sua formação no Peru:

E conheci o Padre Carlos Rivadiet em 2013-2014 quando eu fiz a etapa do magistério – uma etapa que consiste de um a dois anos de tirocínio, onde o jovem jesuíta vive em uma casa de missão. E eu fui destinado para a Amazônia peruana, nesta região onde está o Colégio de  Yamakentsa, que atende indígenas de várias tribos da região. E o padre Carlos era então o diretor deste colégio com quem eu aprendi muito, um homem simples, um homem pobre, austero, espanhol, que vivia há quase quarenta anos naquele lugar e realmente era como um pai para todos os indígenas, que às vezes até de madrugada vinham pedir alguma ajuda, algum remédio para alguma situação difícil.

 

Era um homem simples, um homem de oração, um homem reto, um homem que realmente nos deixou a todos o seu exemplo de um trabalho anônimo, de um trabalho simples, de um trabalho escondido. E hoje mesmo estava falando com um dos indígenas, que também estudou neste colégio e dizia da tristeza que vivia. E era como se perdesse mesmo um pai, que ensinou tantos valores a ele. Assim, era o padre Carlos, que eu tive a alegria de conhecer, e que infelizmente termina a sua vida desta maneira. Mas nós confiamos no Senhor, na sua misericórdia, que o Senhor o acolhe nesta alegria de ter este irmão que deu toda a sua vida, deu até a última gota de sangue para o Evangelho.

Nós estamos nos aproximando do Sínodo para a Amazônia, este momento importante onde nós refletiremos sobre a questão amazônica, a evangelização da Amazônia, e o exemplo do padre Carlos realmente deve nos guiar, nos inspirar, como tantos outros exemplos de pessoas que deram a sua vida a serviço de nossos irmãos indígenas.

Nós estamos nos aproximando do Sínodo para a Amazônia, este momento importante onde nós refletiremos sobre a questão amazônica, a evangelização da Amazônia, e o exemplo do padre Carlos realmente deve nos guiar, nos inspirar, como tantos outros exemplos de pessoas que deram a sua vida a serviço de nossos irmãos indígenas".

Ouça a entrevista!
12 agosto 2018, 08:31