Versão Beta

Cerca

Vatican News
Inundação é considerada a pior em cem anos na Índia Inundação é considerada a pior em cem anos na Índia  (AFP or licensors)

Crise humanitária em Kerala: card. Gracias pede apoio dos católicos aos esforços da Caritas

Os mortos passam de 400 e os deslocados são quase 800 mil devido às piores inundações na Índia em cem anos. O presidente da Conferência Episcopal da Índia, cardeal Oswald Gracias, lançou um apelo a todos os católicos, bispos e comunidades locais, para unirem-se a Caritas Índia, que opera através de equipes de resgate em todo o Estado indiano de Kerala, o mais atingido.

Cidade do Vaticano

Em Kerala há uma verdadeira crise humanitária, provocada por aquela que é considerada a pior enchente dos últimos 100 anos. O abaixamento do nível das águas em algumas localidades revelou novos corpos de vítimas das monções, elevando o número de mortos para mais de 400. Há o risco de epidemias entre os quase 800 mil deslocados.

Apelo à solidariedade

 

Neste contexto, o arcebispo de Mumbai e presidente da Conferência Episcopal da Índia, cardeal Oswald Gracias, lança um apelo urgente a todos os católicos, bispos e comunidades locais, para unirem-se a Caritas Índia, que opera através de equipes de resgate em todo o Estado indiano de Kerala, o mais atingido.

"Em nome de toda a Igreja Católica na Índia – diz o purpurado em um comunicado - lanço um fervoroso apelo a vocês, irmãos bispos, e toda a hierarquia eclesiástica, para unirem-se em solidariedade e encorajar as comunidades de fiéis, instituições e pessoas de boa vontade a contribuírem generosamente para enfrentar esta crise humanitária e de expressar a nossa solidariedade neste momento crucial ".

Papa no Angelus

 

Ao final do Angelus no domingo, o Papa Francisco rezou pelas vítimas e sobreviventes do desastre natural.

 

Não deixemos faltar a esses irmãos a nossa solidariedade e o concreto apoio da Comunidade internacional. Estou próximo à Igreja em Kerala, que se encontra na linha de frente para levar socorro à população. Rezemos juntos por todos aqueles que perderam a vida e por todas as pessoas provadas por esta grande calamidade”.

O apelo do Pontífice segue aquele amplamente difundido na última semana pelos bispos indianos, que também convidam "a se adotar medidas urgentes para preservar o meio ambiente e evitar mais danos ecológicos à nossa terra comum, a Mãe Terra".

Caritas Índia

 

O braço social da Igreja abriu uma campanha de arrecadação de fundos para responder de maneira imediata e efetiva à emergência causada pelas chuvas das monções.

Padre Paul Moonjely, diretor executivo da Caritas Índia, relatou à Agência Asianews a extensão da devastação: "Mais de 67 mil famílias atingidas por inundações e avalanches. Há cerca de 24 mil hectares de terras agrícolas perdidas: isso significa que a maioria das comunidades afetadas perdeu sua principal fonte de renda, visto se ocupavam no trabalho nos campos e trabalhando com mão-de-obra sazonal."

"Dado que a subsistência [da população] depende do emprego diário nos campos - continua ele - entre os diaristas difundiu-se um sentimento de insegurança e precariedade, decorrente da perda de renda".

O cardeal Gracias ressalta a importância dos esforços da Caritas, que "está levando ajudas às 24 dioceses do Estado e distribui alimentos, água potável, roupas e utensílios". "Há uma necessidade urgente de alcançar comunidades ainda bloqueadas e isoladas em áreas remotas e povoados inacessíveis. Nossa assistência imediata pode ir de encontro às necessidades das pessoas aflitas e reduzir o sofrimento de nossos irmãos e irmãs em Kerala. Há uma necessidade extrema de reconstruir as vidas das pessoas e comunidades, reabilitando e restaurando seus meios de subsistência".

Risco de epidemias

 

Os dados mais recentes divulgados pelo ministro-chefe Pinarayi Vijayan relatam a presença de 724.649 pessoas deslocadas que encontram refúgio em 5.645 campos improvisados. Milhares de pessoas ainda estão isoladas, especialmente nas áreas rurais. Muitos buscaram refugio em cima dos telhados das casas. As águas alcançaram de 3 a 4,5 metros em alguns locais, quando os primeiros alertas foram emitidos.

Nos distritos mais atingidos, como Thrissur (norte) e Chengannur (centro), equipes de resgate revistaram as casas inundadas, cobrindo os restos mortais de pessoas que ficaram presas com a rápida subida das águas.

Agentes de saúde foram enviados às regiões atingidas para monitorar a situação na área da saúde e prevenir a propagação de doenças relacionadas à insalubridade da água.

Graças à rede de canais terrestres de Kerala, pescadores colocaram seus barcos à disposição nas  operações de resgate. Voluntários montam cozinhas de campanha para alimentar os deslocados.

O governo deve destinar US$ 3 bilhões para as vítimas e os danos materiais da inundação, valor que deverá aumentar à medida que for contabilizada a dimensão da destruição.

Nesta segunda-feira o aeroporto de Kochi foi reaberto, mas apenas para o uso de cargas comerciais.

Ouça e compartilhe!

 

 


 

Photogallery

Após a destruição, a solidariedade!
20 agosto 2018, 11:47